Subscribe Now

Trending News

6 pontos de atenção que devemos ter com portão de garagem
Segurança

6 pontos de atenção que devemos ter com portão de garagem

O uso do portão de garagem eletrônico vem crescendo gradativamente no país. Hoje, é muito difícil encontrarmos, por exemplo, um condomínio que não tenha um portão instalado, a fim de melhorar a segurança e facilitar a entrada e a saída de carro dos moradores.

Porém, caso não sejam tomadas as devidas precauções, o portão pode se tornar um motivo para desentendimento entre condôminos, problemas entre familiares e, até mesmo, questões judiciais. Isso sem falar em toda a vulnerabilidade que uma repentina falha no portão traz para os moradores.

Por isso, neste artigo, apresentamos 6 pontos de atenção que você deve ter quando se trata de portão de garagem. Continue lendo e confira!

1. Modelos de portão

O primeiro passo antes de qualquer instalação é escolher o modelo de portão mais adequado para a sua realidade. Isso é importante, pois não só aumentará a segurança, como também evitará futuras dores de cabeça.

No geral, existem três tipos de portões:

  • basculante;
  • pivotante;
  • deslizante.

O basculante é o modelo que abre e fecha deslizando de forma vertical. Já o pivotante realiza um movimento parecido com o de uma porta ou janela quando é acionado. Por fim, o deslizante é aquele que se movimenta horizontalmente.

Logicamente, é preciso avaliar o projeto da garagem e o espaço disponível para escolher o portão adequado. Além disso, em muitas cidades há proibições sobre a instalação de alguns modelos em determinadas áreas, por isso é imperativo ficar atento quanto a essas situações.

2. Tempo de abertura e fechamento

Este tópico já é relacionado diretamente à segurança dos usuários. O fato é que nem sempre é válido investir em um sistema de segurança mais básico se ele não oferece os benefícios esperados.

Por exemplo, portões com abertura e fechamento lentos não são recomendados para áreas isoladas. Hoje, é muito comum que empreiteiras construam grandes condomínios em locais mais afastados dos centros das cidades — além de oferecerem mais espaço, esses terrenos costumam apresentar melhor custo-benefício.

Nesses cenários, é válido optar por sistemas que diminuam o tempo de abertura e fechamento dos portões. Assim, os usuários não precisam permanecer um longo período parados do lado de fora e nem se preocuparem quando ultrapassam o portão da garagem.

3. Comandos de acesso

Decidido o tipo de portão e qual sistema utilizar, é hora de definir qual é o melhor comando para abrir e fechar o portão. Em casas, em razão da quantidade reduzida de moradores, se utiliza o controle remoto como comando principal.

Porém, em condomínios a situação já é um pouco diferente. Devido à grande quantidade de usuários, o mais recomendável é optar por um controle único, disparado por um porteiro ou segurança do prédio.

Mas, claro, existe ainda a opção de utilizar um comando fixo e comandos externos, com cada morador utilizando um controle individual.

Em casos de perda, roubo ou extravio de algum controle remoto, o recomendável é desligar o sistema e utilizar aberturas e fechamentos manuais ou a troca de código de todos os outros controles.

4. Manutenção preventiva

Como qualquer outro sistema, um portão de garagem precisa de manutenção contínua para que se manter em perfeito estado. Além de contar com uma empresa especializada em manutenções preventivas, os usuários podem tomar medidas que ajudem na conservação do item, por exemplo:

  • não utilizar o portão da garagem para entrada e saída de pedestres (isso só aumenta o desgaste das peças com mais aberturas e fechamentos);
  • manter os trilhos do portão sempre limpos;
  • observar se há um intervalo maior no tempo de resposta dos comandos;
  • realizar a lubrificação das engrenagens (seguir as indicações do fabricante para essa tarefa);
  • ter atenção a barulhos estranhos e trepidações;
  • observar se existe alguma irregularidade na fiação do sistema do portão.

Ademais, é vital analisar detalhadamente o contrato de serviço com a empresa de manutenção. Verifique os pontos sobre troca de peças, atendimento em finais de semanas ou fora do horário comercial, número de visitas, entre outros. Esse trabalho de análise é essencial para que você não seja pego de surpreso em momentos de dificuldade.

5. Horários de utilização

Sempre existem horários nos quais o fluxo de abertura e fechamento do portão é maior. Por isso, para aumentar a vida útil do sistema, é interessante ter atenção a esses picos e analisar qual estratégia seria a mais adequada para adotar.

Por exemplo, caso o número de moradores seja muito alto, possivelmente o horário da manhã e o final da tarde sejam de grande movimentação. Uma ótima dica nesse sentido é aplicar ciclos de abertura e fechamento. Se o condomínio contar com uma portaria particular, a implementação dessa estratégia se torna ainda melhor.

Assim, o funcionário não deve fechar o portão toda vez que um morador entra ou sai durante o ciclo, o mantém sempre aberto para que outros usuários possam transitar com maior facilidade. Mas, claro, a segurança precisa vir sempre em primeiro lugar: caso o condomínio seja em um local isolado ou com alto índice de violência, deve-se manter as aberturas e os fechamentos convencionais.

6. Acordos e contratos

Outra questão importante para garantir a vida útil do portão de garagem é estabelecer acordos e contratos claros entre os usuários e as empresas (instalação, manutenção, limpeza etc.).

Os moradores devem estar cientes sobre os seus direitos e deveres quanto à conservação do bem comum. Por exemplo, caso um motorista se choque com o portão ao tentar aproveitar a passagem do carro da frente, precisa estar claro que essa segunda pessoa é a responsável pelo conserto de eventuais defeitos.

Além disso, como colocado anteriormente, os contratos com as empresas que aplicam serviços no portão (manutenção, limpeza etc.) devem ser transparentes e entendíveis para todas as partes envolvidas.

Em suma: com as devidas medidas e precauções um portão de garagem pode oferecer ótimos benefícios, como segurança e tranquilidade para os seus usuários. Mas para não correr nenhum tipo de risco, o primeiro passo é optar por empresas especialistas no setor de serviços de segurança. Não vale a pena buscar o “comum” quando se trata da proteção dos seus amigos, familiares e condôminos.

Gostou do artigo? Então, que tal continuar se aprofundando no assunto e conferir o nosso guia prático de sistemas de segurança? Vamos lá!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *