Blog

8 dicas para aliviar o excesso de preocupação do seu dia a dia
Tecnologia

8 dicas para aliviar o excesso de preocupação do seu dia a dia

Tem coisa pior do que se deitar e, por mais cansado que esteja, não conseguir dormir? Culpa do estresse gerado na tentativa de equilibrar as demandas do trabalho, as tarefas domésticas e os projetos pessoais e da ansiedade de querer antever o futuro e controlar o que não está em nossas mãos.

Se você deseja recuperar a qualidade de vida antes que seja tarde, é importante reconhecer o que tem roubado suas horas de sono e aprender a aliviar o excesso de preocupação. Para não entrar em colapso, acompanhe este post e confira as nossas dicas!

Como diminuir o excesso de preocupação?

A primeira medida é tentar identificar os gatilhos do estresse e avaliar se você não está desperdiçando energia com bobagens.

Afinal, na lista de preocupações aparece de tudo: de fatores menos relevantes, como uma visita de parentes inesperada, aos mais críticos, como contas a pagar, o medo da violência urbana etc. Também há quem sofra por antecipação, preocupando-se em resolver problemas que sequer sabe se vão mesmo acontecer.

Assim, foque no que é realmente importante, veja o que pode ser remediado e deixe para lá o que fugir do seu controle.

Como ter uma rotina menos estressante?

Hoje em dia, fala-se muito no conceito de mindfulness, o qual prega a atenção plena no momento presente, com o intuito de melhorar o desempenho em todos os aspectos da vida.

De fato, para ter uma vida mais tranquila é imprescindível gerenciá-la e lidar, de maneira positiva, com os principais geradores de preocupação. São eles:

1. Demandas do trabalho

Dedique-se 100% ao seu trabalho, mas sem se deixar levar pela pressão. Organize-se para cumprir tudo o que for possível, porém respeitando o limite da jornada diária.

O uso de uma agenda e/ou planilhas certamente ajuda a visualizar e alcançar suas metas mais rapidamente. Ao término do expediente, desconecte-se.

2. Tarefas domésticas

Se puder contar com a ajuda de outros moradores para dividir as responsabilidades, não hesite em pedir. Porém, deixe a postura excessivamente crítica de lado e aceite que cada um tem sua maneira de executá-las. O importante é colaborarem.

Para deixar o fim de semana livre da faxina, uma boa estratégia é programá-la ao longo da semana. Tudo é uma questão de planejamento!

3. Projetos pessoais

Se você deseja complementar os estudos, investir em um hobby ou ter mais tempo para praticar atividades físicas e cuidar da mente, permita-se.

Dar atenção a si mesmo gera uma sensação de satisfação e reflete, positivamente, nos demais aspectos da vida.

4. Insegurança urbana

Apesar das notícias preocupantes em relação à violência, não é possível deixar que o medo impeça as atividades do dia a dia da família.

Além de adotar hábitos preventivos, como variar os trajetos para chegar em casa, manter os vidros do carro fechados, entre outros, invista em um sistema de segurança residencial — o que ajuda a afastar os bandidos, indivíduos naturalmente oportunistas.

Vale destacar que, para pais que passam o dia inteiro fora, poder monitorar o imóvel remotamente e saber que os filhos estão seguros diminui um dos maiores motivos de preocupação.

5. Pagamento de dívidas

Coloque todas as suas despesas e receitas no papel e veja onde é possível cortar gastos, bem como se existe alguma forma de pedir um aumento ou complementar a renda com uma atividade extra.

Se não for possível quitar as dívidas de imediato, ao menos procure os credores e renegocie de uma maneira que caiba no seu orçamento.

Além disso, enquanto estiver se reequilibrando financeiramente, evite, ao máximo, o uso do cartão de crédito.

6. Compra da casa própria

Antes de entrar em um financiamento e embarcar nesse sonho — comum à maioria dos brasileiros —, reflita se seu momento pessoal está mais adequado para morar em um imóvel próprio ou alugado.

Para quem está construindo sua carreira, o último pode ser mais interessante, por proporcionar maior liberdade para se mudar em função do trabalho, por exemplo.

7. Cuidados com os pais

Se você tem pais que exigem cuidados especiais, em vez de se manter à distância e passar o dia todo com a cabeça neles, traga-os para morar com você ou se mude para a casa deles.

O imóvel vago pode ser alugado e gerar recursos para pagar os gastos com medicação, alimentação, terapias, investimento em equipamentos de segurança etc.

Outra opção é contratar um cuidador profissional (com boas referências) e pedir para que, caso haja algum problema, você seja avisado imediatamente.

Além disso, hoje em dia existem aplicativos que ajudam os idosos e/ou doentes a terem mais autonomia no seu tratamento, alertando-os, por exemplo, para o horário de tomar as medicações.

Também há sistemas de segurança (câmeras de monitoramento 24 horas) a um custo bastante acessível, que permitem acompanhá-los mesmo à distância.

8. Problemas para dormir

Ao encarar os fatores anteriores de maneira mais equilibrada, certamente a hora do sono deve melhorar.

De qualquer forma, vale a pena evitar o consumo de álcool e bebidas cafeinadas à noite, bem como apagar a luz e desligar a televisão e o celular ao se deitar. Além disso, procure poupar seu local de descanso e não leve problemas para a cama.

Outra medida importante é zelar pela qualidade dos seus pensamentos ao longo do dia. Policie-se para trocar ideias negativas por reflexões sobre o que pode ser feito para conduzir aos resultados desejados.

Por que vale a pena rever os hábitos?

Essa reavaliação da rotina ajuda a ter mais qualidade de vida e conseguir seguir em frente. Afinal, entre os sintomas do excesso de preocupação estão a insônia, as dores de cabeça e estômago, os problemas intestinais, dermatológicos e de memória, os transtornos alimentares etc.

Se estiver difícil de se livrar das preocupações, reserve alguns minutos por dia para pensar exclusivamente nelas. Nesse momento, avalie se existe, ou não, algo que possa fazer a respeito.

Se houver, tome todas as medidas que julgar necessárias para ajudar a lidar com os problemas do dia a dia: medite, inicie uma terapia, contrate um coach para desenvolver habilidades subutilizadas, invista na segurança eletrônica residencial, entre outras.

Se perceber, por outro lado, que se trata de algo além do seu controle, apenas relaxe. Para ajudar, tente se distrair com lembranças positivas, leia um bom livro, ouça sua banda favorita, converse sobre outros assuntos com um amigo etc.

Agora que você conhece as melhores práticas para reduzir o excesso de preocupação, é possível ter uma rotina mais tranquila e, até mesmo, produtiva. Concentre-se no presente e procure se dedicar a cada momento, seja relacionado ao trabalho, à família ou ao bem-estar pessoal. Como tudo na vida, a criação de novos hábitos leva tempo e exige perseverança, mas é perfeitamente alcançável.

Se você achou este conteúdo interessante, compartilhe-o em suas redes sociais e divida as dicas seus amigos!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *