Subscribe Now

Trending News

Afinal, por que controle remoto veicular quebra tanto?
Segurança

Afinal, por que controle remoto veicular quebra tanto?

O controle remoto veicular é mais um dos itens essenciais para garantir a segurança de um bem tão importante para os brasileiros, como o automóvel. Afinal, com a taxa de violência crescendo a cada ano, implementar medidas preventivas é o melhor caminho.

Mas tão comum quanto a utilização dessa ferramenta, são as dúvidas sobre o seu funcionamento e a sua durabilidade. Frequentemente vemos motoristas desesperados na rua, pois o controle do carro falhou e travou de vez o veículo.

Para entender melhor o assunto, neste artigo abordaremos os pontos mais importantes sobre o controle remoto veicular: funcionamento, motivos para os constantes defeitos, além de dicas de como aumentar a vida útil do objeto. Confira e boa leitura!

Como funciona o controle remoto veicular?

A maneira como um controle remoto veicular funciona é simples: quando o dispositivo é ligado e o sensor recebe uma resposta, o alarme soa. Quando os sensores não registram nenhuma atividade incomum, o alarme do carro permanece ativo, mas silencioso e imperceptível.

A maioria dos controles remotos modernos tem:

  • uma sirene, muitas vezes capaz de criar uma variedade de sons para que você possa escolher um som distinto para o seu carro;
  • um receptor de rádio para permitir o funcionamento do controle sem fio a partir de um chaveiro;
  • uma bateria para que o controle possa funcionar;
  • uma unidade de controle de computador que monitora tudo e soa o alarme — o “cérebro” do sistema.

O cérebro na maioria dos sistemas avançados é, na verdade, um pequeno chip com um código atual de 40 bits. O seu trabalho é sincronizar os interruptores que ativam os dispositivos de alarme — a buzina, os faróis ou uma sirene instalada — aos comandos do controle. Os sistemas de segurança diferem principalmente em quais sensores são usados ​​e como os vários dispositivos são conectados ao cérebro.

Por que o controle quebra tanto?

Como explicado, o segredo do controle remoto está na sincronização do pequeno chip com os sensores instalados em diferentes lugares do carro. Qualquer dificuldade em alguma das partes é o suficiente para que ele não funcione corretamente.

Em geral, um controle remoto “quebra” quando recebe muitas quedas ou impactos a ponto de danificar o chip principal. Mas existem outras razões que ajudam a entender um mau funcionamento. Confira!

Portas ou capô empenados

Geralmente, os sensores do alarme são instalados nas entradas principais de um veículo (portas dianteiras e traseiras) e nos espaços para manutenção e armazenamento de objetos (capô e bagageiro).

Se todas as portas não apresentam nenhum tipo de problema e estão em perfeito estado, o controle funciona normalmente. Todavia, caso haja alguma dificuldade de fechamento ou se for necessário uma “força a mais” para trancá-las, há grandes possibilidades de os sensores não atenderem corretamente o comando dos alarmes.

Isso acontece, pois são esses sensores que identificam a situação no carro. Portas empenadas podem “enganar” os dispositivos fazendo com que eles entendam que as entradas estão fechadas, quando na verdade estão abertas. Nesse cenário, o mais indicado é procurar um especialista para resolver os problemas das portas.

Excesso de sensibilidade nos sensores de presença

Os sensores nos veículos têm uma pequena tolerância a vibrações. Caso o alarme esteja disparando o tempo todo, sem a utilização do controle remoto, pode ser o resultado de um excesso de sensibilidade nos sensores. Às vezes, um caminhão passando ao lado do veículo ou um simples esbarrão são suficientes para que o alarme emita sons.

Nesse caso, leve o veículo para diminuir a sensibilidade dos sensores e faça o teste para garantir que essa modificação não afetou o funcionamento do controle.

Bateria gasta

Como explicado no tópico anterior, o controle remoto tem sua própria bateria. Assim como em um relógio ou qualquer outro aparelho, a bateria dele precisa de manutenção e troca. Portanto, é fundamental acompanhar o ciclo de vida útil do item.

Entre os casos de mau funcionamento de um controle veicular, este, com certeza, é o mais grave: utilizando uma bateria defeituosa, você corre o risco de travar o seu automóvel em algum estacionamento ou mesmo fazer com o que o veículo “apague” quando menos esperar.

Por isso, não se arrisque, acompanhe as indicações do fabricante e realize a manutenção e s troca sempre que necessário.

Fatores climáticos

Não só a chuva, mas mesmo a poeira ou o calor em excesso podem danificar um controle remoto. Por exemplo, caso ele seja guardado em uma gaveta empoeirada ou muito quente quando você está em casa, isso pode afetar diretamente o funcionamento do chip.

Então, a melhor dica nesse sentido é sempre se policiar na hora de guardar o controle e ter atenção ao perigo da chuva na rua.

Como aumentar a vida útil do controle?

Além de se prevenir das situações anteriormente apresentadas, existem outras medidas que você pode tomar para garantir maior durabilidade do seu controle remoto veicular.

Confira o tipo de material do controle

Uma pequena queda é suficiente para quebrar o controle. Porém, dependendo do material utilizado na produção, não é preciso nem isso para comprometer o funcionamento do sistema: um simples bolso apertado pode fazer com que ele pare de funcionar.

Por isso, na hora de escolher um sistema de alarme, tenha atenção ao material do controle remoto. Certifique-se sobre a rigidez e a estrutura do objeto. Pesquise também sobre o histórico e se há reclamações de outros usuários nesse sentido.

Analise e faça a manutenção do sistema elétrico do carro

Antes de qualquer implementação de um dispositivo de segurança, é preciso ter certeza de que o sistema elétrico do carro possibilita a instalação sem problemas. Feito isso, também é essencial realizar a manutenção da bateria (do veículo) e do sistema em geral.

Um defeito relacionado à eletricidade do automóvel é o suficiente para causar interferência nos comandos do controle remoto.

Estude sobre as funcionalidades do controle

Em muitos casos, o controle não apresenta nenhum tipo de defeito, o próprio dono do automóvel é que não está utilizando as funcionalidades disponíveis corretamente ou a falha acontece em razão de repetidas escolhas erradas nos comandos.

Então, é imperativo ler o manual de instrução e entender todas as funcionalidades do controle remoto. Lembre-se: nem sempre o objeto se resume ao “ligar e desligar”.

Enfim, o controle remoto veicular é sem dúvida um item cada vez mais essencial na vida dos proprietários de automóveis. No entanto, como explicado, basta um simples descuido para que ele passe de uma solução inteligente para uma grande dor de cabeça. Para garantir as melhores vantagens, conte sempre com uma empresa especializada em equipamentos de segurança ao escolher o controle remoto.

Gostou das dicas? Não deixe de assinar a nossa newsletter para ficar por dentro de todas as novidades!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *