Blog

Tudo sobre armazenamento de imagens para sistemas de segurança
Tecnologia

Tudo sobre armazenamento de imagens para sistemas de segurança

Você pesquisou e investiu em um sistema de segurança para o seu estabelecimento e agora chegou o momento de pensar no armazenamento de imagens. Afinal, existem algumas gravações que devem ser guardadas e outras que não são necessárias, podendo ser salvas apenas para arquivamento ou simplesmente serem descartadas, não é mesmo?

Outro aspecto que precisa ser considerado é a necessidade de investir na proteção do seu sistema de monitoramento, afinal, de nada vai adiantar você adquirir câmeras de segurança que não possibilitam o backup automático. Assim, se acontecer alguma descarga elétrica, todas as imagens salvas serão perdidas. O raciocínio é o mesmo para o caso de o assaltante destruir ou roubar os seus equipamentos de gravação.

Saiba que a segurança do estabelecimento está totalmente ligada à qualidade dos dispositivos e na estratégia usada como instrumento de prova no caso de crimes contra o seu patrimônio. Dessa maneira, é essencial contar com um bom serviço de armazenamento de imagens. Vamos aprender mais sobre isso e conhecer quais são os principais? Acompanhe com a gente!

1. Armazenamento de imagens em Nuvem

Um conceito que está sendo muito utilizado nos dias atuais é o de armazenamento em nuvem. De uma forma bem simples, podemos definir nuvem como uma “plataforma de armazenamento online”, em que é possível guardar arquivos e acessá-los a partir de uma conexão com a internet.

No caso do sistema de monitoramento, significa que você pode acessar as gravações realizadas no seu estabelecimento de maneira remota e totalmente segura, disponibilizando, inclusive, downloads com equipamentos diferentes. Uma das suas vantagens é que, como o armazenamento das imagens não fica em um local fixo (na sua loja, por exemplo), pessoas com más intenções não conseguem danificá-las. Dessa forma, apenas o pessoal autorizado pode acessá-las — de qualquer lugar, a qualquer momento.

Outro grande benefício é que os arquivos ficam atualizados em tempo real, porque são conectados com a internet e o backup é feito de forma constante. Assim, você não precisa preocupar se o equipamento gravou ou não determinado período ou acontecimento. Isso traz segurança ao gestor, tendo sempre respaldo em casos inesperados.

Normalmente funciona da seguinte maneira: a empresa contratada oferece um painel com login e senha para que o dono do estabelecimento possa verificar as imagens em tempo real. Para cada usuário do sistema é criada uma senha de acesso, tornando mais fácil acompanhar quem acessa as gravações.

Esse conteúdo pode ser acessado de um computador, tablet ou smartphone, basta ter uma boa conexão com a internet. Outra vantagem de investir no armazenamento em nuvem é a acessibilidade e mobilidade, reduzindo os custos com dispositivos e mídias físicas.

Esse recurso permite, ainda, o compartilhamento dos arquivos de gravações, além da sincronização ser instantânea, sem delays ou bugs no sistema. Possui uma praticidade incrível, principalmente para aqueles empreendedores que não tem tempo para ficarem acompanhando as câmeras com frequência.

Contudo, para que o serviço de nuvem funcione de forma correta no armazenamento de imagens, é fundamental contar com um bom firewall, antimalwares e softwares para monitorar o estado de segurança dos seus equipamentos.

2. Armazenamento em Storages

O Storage é um tipo de dispositivo para salvar imagens e dados, tais como: pendrive, cartões de memória, DVDs, HDDs (Hard Drive Disks), SSDs. Uma das vantagens dessa opção é a possibilidade do transporte das informações.

Contudo, ele é válido somente para pequenas gravações de imagens, que não necessitam salvar uma grande quantidade de dados e informações. O storage pode ser dividido em três tipos: Network Attached Storage (NAS), Direct Attached Storage (DAS) e Storage Area Network (SAN). Confira abaixo!

NAS – Network Attached Storage

Basicamente, é considerado um aparelho de captura que se conecta a redes, permitindo que se armazene e traga dados de volta, diretamente de um local central em que somente colaboradores autorizados conseguem ter acesso.

Esse sistema possui uma grande flexibilidade e propensão à expansão horizontal. Isto é, quanto mais memória necessitar, mais dados serão cumulados aos que já se encontram salvos. Ter um NAS é bem parecido com ter uma nuvem, no entanto, de forma privativa como se estivesse em seu escritório.

Tem a grande vantagem de um sistema operacional próprio. Desse modo, ele apenas possui uma porta ethernet no intuito de liberar mais espaço de armazenagem para diversos computadores diferentes, tanto local quanto remotamente.

Podem, ainda, desenvolver-se em várias unidades interligadas com um único padrão de hardware e software para não conflitarem, contando também com uma alimentação totalmente independente e, ainda, quando em manutenção, não precisa parar os processos em execução. Além disso, é mais veloz, com custo-benefício diferenciado dos demais, além de entregar ao gestor o controle total e completo do dispositivo. São referência quando se quer simplicidade em operar, sem ser preciso contratar profissionais próprios para o serviço, ou seja, aqueles que trabalham na área de TI (Tecnologia da Informação).

O backup para armazenamento de imagens é prático, com uma facilidade enorme em acessar e manejar quando for necessário. Como dito acima, os dados são centralizados para proporcionar uma segurança e conforto maior ao dono do negócio quando for procurar alguma informação pertinente.

Como é disponibilizado também ao colaborador (por meio de cadastro com login e senha), fica melhor em tomar medidas imediatas e urgentes, bastando dar a tarefa aos que tem acesso para que tenham uma resposta mais rápida possível à um cliente, por exemplo. Além disso, é possível coordenar a equipe remotamente, identificar problemas de maneira eficiente, entre outros problemas corriqueiros.

Cada dia mais, o Network Attached Storage tem sido disseminado entre empreendedores que se preocupam com a segurança de sua empresa. Isso se deve, primordialmente, ao fato desse sistema oferecer acesso às informações 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Assim, todas aquelas tarefas que têm como requisito a distribuição de informação entre vários computadores diferentes, como fazer backup de toda a rede ou dados que se compartilham nas máquinas transformando o trabalho individual em um ambiente colaborativo, são soluções muito bem feitas pelo NAS pela sua facilidade em gerenciamento.

DAS – Direct Attached Storage

Criado com a necessidade de ser integrado diretamente ao computador, ou mesmo um servidor se for o caso, o DAS tem a missão de amplificar a memória dos servidores de aplicação, centralizando todos os dados coletados. Dessa maneira, facilita o gerenciamento e aparelha as informações de forma estrutural para todos os clientes.

O DAS é usado no cotidiano na solução rápida de situações comuns, como para transportar arquivos de um lugar para outro pessoalmente. Ele é muito utilizado no dia a dia, mas você deve conhecê-lo pelo nome popular Pen-Drive, cartão de memória, entre outros.

Como sabemos, o storage DAS permite acesso imediato e direto ao computador por USB. Muitas corporações armazenam suas informações nele, por possuir grande capacidade de guardar dados em um mesmo dispositivo. Os HDs externos, por exemplo, chegam a alcançar acima de 2TB de memória.

São utilizados em empresas por seu desempenho e também por possuir inúmeros recursos contra erros do sistema. Por ter uma boa flexibilidade, é capaz de proporcionar armazenamento de imagens para mais de um servidor ao mesmo tempo, dando a opção do colaborador criar várias unidades lógicas de salvamento e, ainda, diversos volumes para cada aplicação.

Podem vir em pequenos dispositivos, com as denominadas “memórias flash” ou, em um disco maior com vários caches acoplados. Chamam bastante atenção pela eficiência que entregam ao usuário por expandir a área para armazenar informações tendo acesso direto e instantâneo a elas.

SAN – Storage Area Network

Por fim, esse tipo de storage é considerado um pilar de sustento da rede que tem a finalidade simples e clara de interconectividade entre as unidades de armazenamento e os servidores, no intuito de gerar uma segurança aprimorada quando se trata de tráfego de dados. Ele tem a função de juntar todos os recursos em um tipo de rede local especial, de forma independente e com um desempenho diferenciado, longe da acessibilidade de certos pedidos feitos por usuários diretamente.

Desse modo, não só dá o direito aos servidores em acessar o sistema de armazenamento compartilhado de maneira concisa, como permite a entrada do servidor a qualquer storage em uma SAN por meio de solicitação ao dispositivo, inclusive sendo monitorado de acordo com as normas pré-estabelecidas.

Elas são formadas por três componentes básicos: cabos, adaptadores ou controladoras de barramento e os switches que são introduzidos aos sistemas de armazenamento. Todos os servidores e dispositivos são obrigatoriamente conectados entre si, recebendo níveis grandiosos de transmissão dos dados, na ideia primária de adequar a banda para todas as tarefas, as quais são submetidos.

3. Servidores para armazenar gravações

Os Servidores (ou Servers) são computadores com uma excelente capacidade de armazenamento e processamento. O seu principal objetivo é guardar todas as informações que a empresa necessita, e o equipamento é capaz de suportar dados de diversos formatos — documentos de texto, vídeos, planilhas e imagens.

Ele funciona por meio de um sistema operacional que deve ser instalado na máquina e pode ser acessado de modo interno por um mecanismo de login e senha, até mesmo de forma remota. Esse recurso funciona bem, contudo, é importante ressaltar que, conforme o volume de dados vai aumentando, a organização precisa investir em recursos computacionais para aprimorar a aptidão para armazenamento e conseguir mais espaço (como é o caso do rack ou blade).

Os dados não são conectados com a internet. Contudo, esse tipo de recurso demanda mais manutenção e é preciso contar com uma equipe especializada para providenciar a atualização constante ou resolver possíveis problemas.

4. HDD para vigilância – SkyHawk Seagate

Por último, mas não menos importante que ou outros tipos de armazenamento de imagens, temos o inovador disco rígido “SkyHawk” de 14TB (Terabites), que permite uma resolução de vídeo e áudio em qualidade superior por conseguir salvar arquivos muito mais pesados.

É capaz de fazer uma das melhores análises e retenções já vistas, superando expectativas de acordo com o que geralmente clientes exigem do sistema. Portanto, conseguem unir perfeitamente a cooperação entre alta performance e confiabilidade, considerados os pilares quando se trata da necessidade emergente do cliente de controles de vigilância.

Ele já superou a marca de mais de 9 mil horas de gravação na memória, comportando um número expressivo de 64 câmeras em Full HD. Foi minuciosamente melhorado e preparado para DVDs e NVRs, otimizado para trabalhar ininterruptamente. Ainda, vem abastecido com um firmware poderoso que é o ImagePerfect. Assim, diminui consideravelmente aqueles quadros que são atrapalhados e o tempo que fica inativo por causa desse problema.

Além disso, esse sistema oferece uma tecnologia exclusivamente desenvolvida por eles, disponibilizando tanto a análise quanto o monitoramento da integridade física do local, dando a oportunidade do gestor prevenir atitudes danosas, de forma a recuperar e identificar rapidamente o problema, solucionando falhas sem demora alguma.

É importante ser dito que, diante de todo esse aparato, ele acaba consumindo menos energia, contribuindo para o meio ambiente sustentável e, se adaptando para operar em qualquer lugar, independente da temperatura, resguardando os dados sem que quaisquer alterações que o façam sofrer algum dano.

O armazenamento de imagens é um assunto muito sério, porque de nada vai adiantar você investir nos melhores equipamentos de segurança se não dispor de um bom recurso para salvar e gerenciar essas gravações. Atualmente, existem diversas opções no mercado, por isso, é preciso escolher a que melhor se adéqua à realidade do seu negócio. Além disso, também é essencial contar com uma empresa especializada que preste o suporte necessário para ajudar nesse processo.

5. Armazenamento de imagens em DVRs, NVRs e HVRs

DVR (Digital Video Recorder)

É um sistema muito utilizado, pois tem um bom custo-benefício fazendo com que seja mais barato em vários casos. Eles oferecem vários recursos a depender do modelo, como:

  • monitoramento em tempo real;
  • gravação das imagens em alta definição;
  • backup dos arquivos em HD externo ou na nuvem;
  • acesso ao sistema de CFTV através de dispositivos móveis como celulares e tablets;
  • acesso à gravação das câmeras em horários específicos etc.

Como nem tudo são flores, o sistema DVR tem a desvantagem de fazer o armazenamento de imagens analógicas, apenas. Mesmo que haja câmeras IP no conjunto, a imagem delas será guardada como sendo analógica. O limite de gravação do DVR é de 960 linhas de resolução.

NVR (Network Video Recorder)

O sistema e as vantagens do NVR são similares às do DVR. Ele permite a integração e gravação de todas as câmeras em um mesmo local. O diferencial aqui é a adequação apenas à tecnologia IP. Sendo assim, as câmeras podem ser conectadas ao aparelho sem o uso de cabos, e sim, pela rede Wi-Fi em comum. O processador e o espaço para gravação são significativos.

A desvantagem é o preço. O aparelho, em geral, é mais caro que o DVR. Entretanto, visto que os cabos são desnecessários, haverá uma boa economia neste aspecto.

HVR (Hybrid Video Recorder)

Não é sem motivos que mencionamos o HVR depois do DVR e NVR. Por ser híbrido ele é uma mistura das duas tecnologias. Sendo assim, ele suporta câmeras analógicas e IP em uma mesma rede. É um sistema indicado para quem não quer abrir mão das câmeras mais antigas e deseja adicionar outras mais modernas. Alguns HVRs suportam também a tecnologia AHD, que são câmeras analógicas de alta definição.

O ponto negativo do sistema é que a presença de câmeras analógicas pode fazê-lo ficar vulnerável, porque as imagens desses aparelhos podem comprometer a visualização para se identificar um indivíduo, por exemplo.

Por quanto tempo as imagens de câmeras de segurança devem ficar armazenadas?

No caso de residências e estabelecimentos menores não há leis específicas. Contudo, uma boa prática é manter as imagens armazenadas pelo tempo de 30 dias. Três fatores importantes estão envolvidos nisso: o modo de gravação, a compressão do vídeo e a capacidade do HD. Vamos analisar cada um.

  • Modo de gravação — use de preferência o modo Detecção de Movimento, que em horários de baixa circulação só vai começar a gravar se a câmera detectar alguma movimentação no ambiente.
  • Compressão de vídeo — quanto maior a compressão, menor o arquivo que será gerado, porém, lembre-se que a qualidade também é importante.
  • Capacidade do HD — item primordial, quanto maior o espaço melhor. Contudo, o mais indicado é contar com técnicos especializados para definir uma média de quanto você vai gastar de espaço em um período de 30 dias.

O projeto de Lei (PL) 7018/13 intenciona que estabelecimentos com grande fluxo de pessoas tenham a obrigação de fazer o armazenamento de imagens pelo período mínimo de 30 dias. Que estabelecimentos são esses? Veja o que o PL diz, abaixo:

  • os estabelecimentos bancários e comerciais em geral;
  • estabelecimentos de saúde, públicos ou privados;
  • terminais de transporte de todos os tipos;
  • estabelecimentos de ensino em geral;
  • condomínios residenciais, abertos ou fechados;
  • casas de espetáculos em geral;
  • academias de ginástica, quadras esportivas, estádios, parques;
  • vias públicas e rodovias, municipais, estaduais e federais.

Por que é importante contar com uma empresa especializada?

De nada vai adiantar você instalar câmeras de segurança no seu estabelecimento se não contar com um bom suporte. Nesse sentido, uma empresa especializada é essencial para conhecer a realidade do seu negócio, indicar os melhores equipamentos e prestar a ajuda necessária.

Quando você investe em uma equipe qualificada, tem o apoio de profissionais preparados que conhecem as melhores tendências mercadológicas e apontam soluções concretas e inovadoras para o seu negócio.

Dessa maneira, é extremamente importante investir na parceria com empresas especializadas para contratar serviços e tecnologias de segurança. Assim, você terá a certeza de que o armazenamento de imagens se dará por completo e não haverá inconvenientes como necessitar rever uma gravação e ela não ter sido salva devido a uma queda no sistema ou por qualquer outro motivo — como ocorre no caso de os assaltantes levarem consigo os equipamentos de segurança.

Neste artigo, você pôde conferir diversos tipos de armazenamento de imagens, conhecendo um pouco sobre cada opção para ser capaz de escolher o melhor mecanismo para o seu estabelecimento. Incrível, concorda?

Gostou desse conteúdo sobre para a segurança de sua loja? Então, não perca tempo e assine nossa newsletter para receber mais conteúdos exclusivos como este!

Related posts

2 Comments

  1. Marcos Antonio estevo

    Gracias pelas información .de armazenamento de Imágenes

    1. Giga Security

      Marcos, tudo bem?

      Nós que agradecemos por oferecer ainda mais conhecimento sobre o assunto!

      #fiquegiga

Deixe uma resposta

Required fields are marked *