Subscribe Now

Trending News

Assalto residencial: saiba o que NÃO fazer caso isso aconteça
Tecnologia

Assalto residencial: saiba o que NÃO fazer caso isso aconteça

Em tese, todos conhecem a importância de não reagir no caso de ser abordado por um criminoso, pois nunca se sabe quando o indivíduo está armado, acompanhado de um ou mais comparsas, entre outros perigos.

Porém, os noticiários estão repletos de casos de criminalidade, com histórias de quem passou por situações do tipo e alega ter agido instintivamente, comportando-se como jamais poderia imaginar e se colocando em risco. Afinal, quando se trata de um assalto residencial, o sentimento de coação deixa os ânimos ainda mais aflorados.

Com o intuito de ajudar você a se manter em segurança, apresentamos neste post seis reações que devem ser evitadas, mas que muitas vezes são praticadas sem a reflexão necessária. Assim, se alguma delas passar pela sua cabeça, o melhor é ignorá-la. 

Além disso, ensinamos como agir da melhor maneira possível e apontamos um caminho para proteger seu patrimônio — e as pessoas que nele se encontram — sem que ninguém se coloque em risco. Então, não perca mais tempo e boa leitura!

Como um assalto residencial pode se tornar ainda mais perigoso?

Na ânsia de proteger os bens pessoais e, principalmente, o restante da família, manter-se tranquilo em um assalto residencial é mesmo difícil. Portanto, saiba o que não fazer caso isso aconteça!

Não grite por socorro

O assaltante está tenso, pois não sabe ao certo o que vai enfrentar. Assim como a vítima, ele também tem receio de levar um tiro, caso algum morador tenha uma arma e, principalmente, tem medo de ser pego pela polícia.

Além de os gritos deixarem o bandido ainda mais nervoso, não se trata de uma medida eficaz. Dificilmente alguém vai ouvi-lo em meio ao barulho dos grandes centros urbanos e, caso ouvisse, não saberia precisar de onde vem o pedido de socorro.

Nem pense em fugir

Mesmo se identificar um momento de distração do bandido, nada de se arriscar em uma tentativa de fuga. A probabilidade de tropeçar, esbarrar em algo ou qualquer outro inconveniente é imensa, por conta da tensão envolvida.

E ainda que nada disso ocorra, se o assaltante perceber, pode agir com violência física ou até atirar. Como os projéteis são suficientemente rápidos para alcançá-lo, a tragédia é iminente.

Evite movimentos bruscos

Qualquer movimentação pode ser interpretada pelo bandido como uma tentativa de reação, seja para atacá-lo, para chamar a polícia ou para tentar fugir do local.

Isso pode fazê-lo perder a paciência e partir para a agressão ou manter você trancado em algum cômodo sem saída.

Não tente imobilizar o bandido

Mesmo que você faça aulas de defesa pessoal, seja praticante de alguma modalidade de luta ou tenha posse e porte de arma de fogo, jamais tente pegar o bandido.

Isso é trabalho para a polícia, mesmo porque, além do risco de falhar e ter que aguentar as consequências, raramente os meliantes agem sozinhos. Ou seja, as chances de ser atacado por seus comparsas é enorme.

Não tente enganar ou minta

Se o bandido perguntou por algum bem específico, certamente tem observado seus hábitos e sabe o que procura. Por isso, não adianta fingir que não sabe do que se trata ou que o item se encontra em um local que não corresponde à verdade.

Se ele notar que foi enganado, pode reagir de maneira violenta. É mais seguro obedecer as ordens e deixar que a polícia se encarregue de recuperar os prejuízos.

Não fique encarando

O meliante não quer ser reconhecido, por isso nada de responder aos seus questionamentos com olhos nos olhos, muito menos de encará-lo enquanto executa a ação.

Aliás, para não irritá-lo, fale somente se for solicitado e de maneira calma e objetiva. Nunca tente negociar com o bandido. Quanto menos tempo ele estiver em sua casa, menor o risco de o assalto acabar de modo trágico.

Como agir caso você se veja envolvido em um cenário como esse?

Fique calmo, cumpra as ordens do assaltante e, somente quando ele finalmente for embora, chame a polícia e registre a ocorrência.

É possível prestar atenção nas características físicas do meliante para contribuir com o trabalho de investigação, desde que olhando com discrição, nunca fixamente. Qualquer reação diferente disso pode colocá-lo em risco.

Durante o andamento da ação, especialistas em segurança recomendam manter as mãos em evidência e se manter imóvel. Caso o bandido faça alguma solicitação, como entregar a carteira ou o celular, avise-o de que terá que fazer determinados movimentos antes de começar a se mexer.

Em que vale a pena investir para prevenir assaltos em sua residência?

Em 2017, o indicador global Social Progress Index (IPS, na sigla em português) classificou o Brasil como o 43º país no que diz respeito à qualidade de vida. Porém, em relação à segurança pessoal, ficamos entre os piores, na 121ª colocação.

Em um contexto como esse, é preciso se precaver. Uma das maneiras mais eficazes de evitar um assalto residencial, além de tomar cuidado ao entrar no imóvel, é investir em um sistema de segurança para casa. As opções são muitas:

  • alarme;
  • cerca elétrica;
  • câmeras de segurança simples ou com circuito fechado de TV (CFTV);
  • videoporteiro (o qual permite o monitoramento remoto pelo proprietário, via internet) e interfone (que também pode ser acessado remotamente);
  • fechadura eletrônica acionada por senha de acesso, cartão de identificação ou aplicativos;
  • sensor de presença, muitas vezes, acoplado a câmeras de monitoramento;
  • sensor infravermelho, que dispara um alarme quando cruzado;
  • controle de acesso de veículos em garagens de condomínios;
  • controle de acesso para moradores, funcionários e visitantes, também em condomínios.

Além dos recursos tecnológicos afugentarem os criminosos, eles auxiliam no trabalho de investigação da polícia e, ainda, ajudam a aliviar o excesso de preocupação no dia a dia.

Agora que você sabe o que não fazer em um assalto residencial, caso passe por uma situação de extremo estresse como essa, lembre-se de manter a calma e não reproduzir os comportamentos listados no post. Também é importante conversar com familiares, bem como pessoas que trabalhem na sua casa, para evitar comportamentos inapropriados e garantir que todos saiam ilesos.

Por fim, se você deseja deixar seu lar mais protegido, conheça nossas soluções completas em segurança!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *