Subscribe Now

Trending News

CFTV IP para residências: guia para ajudar na instalação
Produtos

CFTV IP para residências: guia para ajudar na instalação

Para proteger a família e até os nossos pets, não poupamos esforços e investimentos. Com o objetivo de garantir o maior nível possível de segurança para aqueles que amamos, é importante apostar em soluções tecnológicas de ponta.

O Circuito Fechado de Televisão (CFTV) é o mais indicado para alinhar toda as modernizações conferidas pela tecnologia avançada. As estruturas analógicas de vigilância, que ainda são bastante utilizadas, têm perdido terreno com a crescente adoção do CFTV IP, que oferece uma cobertura maior e imagem otimizada.

Preparamos um conteúdo especial para você conhecer suas funcionalidades e ainda descobrir quais são os itens essenciais para você iniciar o processo de instalação. Neste artigo, vamos apresentar o CFTV IP para residência e dicas importantes. Confira!

Benefícios do CFTV IP para residência

Com a evolução constante da tecnologia, há a produção de equipamentos destinados a suprir as necessidades de diferentes tipos de pessoas. Dispositivos como TVs, smartphones e computadores estão cada vez mais atualizados e modernos, trabalhando com múltiplas funcionalidades.

Felizmente, todo esse incremento nas tecnologias também beneficia os sistemas de CFTV IP, principalmente com a digitalização — que expande as funcionalidades dessa estrutura deixando de operar somente com câmeras analógicas. Os aparelhos digitais passaram a utilizar, também, câmeras Internet Protocol (IP).

A opção analógica ainda é amplamente utilizada no país, mas os benefícios da versão digital com IP têm mudado as tendências. Vamos conhecer algumas vantagens significativas do CFTV IP.

Melhor qualidade de imagem

A qualidade da imagem capturada é um dos principais benefícios do CFTV digital, potencializada pela tecnologia das câmeras IP. Os equipamentos chegam a oferecer até 5 megapixels e imagens de alta resolução, possibilitando o formato 1920×1080, popularizado pelas televisões e computadores que trabalham com a resolução Full HD.

As soluções digitais IP aplicadas aos sistemas de segurança evitam perda de qualidade quando é realizada a conversão dos sinais analógicos diretamente para os digitais. Em uma estrutura analógica, a qualidade das imagens nem sempre oferece a nitidez necessária, dificultando o processo de identificação de uma determinada pessoa ou objeto.

Com a alta definição obtida com o CFTV IP, não há perda de qualidade nas imagens na hora da conversão do sinal. Além disso, diferentemente do que ocorre com as câmeras analógicas, os equipamentos IP são imunes a interferências eletromagnéticas que prejudicam as versões mais antigas.

Essas falhas são causadas por transmissões de radiofrequência e condutores, mas as câmeras digitais oferecem um sistema mais eficiente e ágil, que evita a perda de capturas e informações contidas nas imagens.

Otimização das imagens capturadas em vídeo

As câmeras IP fornecem uma melhoria significativa na análise das imagens e possibilitam o uso e o alcance do zoom, possibilitando que se amplie a visualização com menor possibilidade de borrões. Para complementar, algumas das opções mais avançadas têm detectores de movimento — a gravação só ocorre quando há presença efetiva de pessoas na área monitorada pelo equipamento.

Quando o sistema detecta movimento, há o envio de um alerta para os responsáveis pela operação dos equipamentos. Desse modo, essas pessoas podem analisar as imagens capturadas de forma remota e facilitada, por meio de smartphones e tablets.

Possibilidade de redução do número de câmeras

Com a captura em alta definição realizada pelo sistema CFTV IP, é possível monitorar uma área mais ampla com menos equipamentos. Assim, o número de equipamentos mais antigos é reduzido e a mesma área é coberta gastando menos.

É possível conseguir resultados melhores, já que apenas uma câmera que opere no sistema CFTV IP tem a possibilidade de substituir até quatro equipamentos analógicos. A redução do número de aparelhos confere muitas vantagens, como:

  • facilidade na instalação;
  • manutenção se torna mais simples com o número menor de câmeras;
  • monitoramento facilitado;
  • economia e custo-benefício superiores à estrutura analógica.

Cabeamento mais enxuto

O sistema analógico requisita uma conexão direta ao DVR, mesmo que os equipamentos estejam próximos. Já no CFTV IP, as câmeras que ficam próximas entre si são conectadas à estrutura conhecida como PoE Switch.

Essa configuração se liga às câmeras por meio do NVR, utilizando bem menos espaço e otimizando os procedimentos de manutenção — facilitando possíveis mudanças físicas de todo o aparato.

Maior flexibilidade na configuração

A opção analógica impõe um determinado limite de câmeras que podem ser utilizadas, já que essa estrutura utiliza o sistema de gerenciamento conhecido como DVR — que opera com um número limitado de portas.

Já a versão digital é bem mais flexível e possibilita a instalação ilimitada de câmeras. Os PoE Switches oferecem a possibilidade de até 24 dispositivos, de acordo com a funcionalidade de cada equipamento. Além disso, é possível instalar até vários switches, aumentando ainda mais o suporte à implementação de um número maior de câmeras.

Sistemas analógicos são pouco flexíveis e exigem uma mão de obra maior para a correta adequação. É importante notar que esse tipo de configuração exige um cabo exclusivo até os dispositivos responsáveis pelas gravações, dificultando a expansão de toda a estrutura de vigilância.

Os CFTVs analógicos também requisitam fontes de alimentação separadas, ao contrário da tecnologia PoE adotada na configuração CFTV IP.

Em estruturas físicas mais complexas, como elevadores de empresas, há um complexo emaranhado de cabos nas instalações analógicas. Com a possibilidade de cabeamento mais enxuto fornecida pela opção IP, o procedimento se torna bem mais simples, facilitando uma possível expansão do projeto.

Sistema misto

Outra vantagem significativa é a possibilidade utilizar cabo UTP, opção popular — se trata do mesmo cabo utilizado pelos computadores para se conectarem à internet. Esse cabo dispensa o uso de outro sistema de cabeamento conhecido como coaxial. Vamos conhecer mais sobre o cabeamento adequado adiante.

Os links via rádio, uma opção exclusiva dos CFTVs IP, possibilitam a implementação de uma configuração híbrida que conecta um gravador DVR ao NVR, aumentando a qualidade geral da estrutura. Os DVRs são mais atrelados às estruturas analógicas e o sistema geral pode se beneficiar de uma junção com os NVRs, que oferecem um melhor nível de compressão e qualidade de imagem.

Nesse tipo de configuração mista, o NVR realiza a gravação ao utilizar as câmeras IP e ainda ajuda no procedimento de backup das gravações realizadas por equipamentos analógicos. É possível alocar o NVR na mesma rede em que o DVR analógico foi instalado, garantindo eficiência e versatilidade para o seu projeto.

Melhor custo-benefício no longo prazo

Muitos usuários de sistemas analógicos ficam desestimulados ao se deparar com o custo inicial do circuito fechado via IP. Porém, em longo prazo, os benefícios são visíveis. Como vimos, a manutenção se torna, também, bem menos complexa com uma quantidade menor de cabos e dispositivos em geral — o que reduz os custos finais.

Como na versão digital há a possibilidade de centralizar a operação em switches, todo o trabalho de cabeamento se torna bem menos complexo e oneroso. Há, ainda, a possibilidade de utilizar fibra ótica e links via rádio.

Itens para instalação de um CFTV para residências

A essa altura, já podemos afirmar que, para proteger adequadamente a nossa família, nossa propriedade e nossos bens, uma ótima medida é adquirir um sistema de vigilância como o CFTV IP para afugentar os invasores e criminosos. Porém, para iniciar os procedimentos de instalação, é necessário conhecer alguns equipamentos essenciais para realizar toda a operação com sucesso.

O CFTV IP opera com uma gama mais ampla de monitoramento em relação à opção digital, fornecendo imagens em alta definição e a possibilidade de transmitir dados de voz em vídeo. São os roteadores que realizam a primeira análise do IP de destino e encontram o melhor caminho para se conectar à rede remota escolhida.

Além do roteador, vamos conhecer os outros componentes essenciais para a implementação desse sistema!

Sistema de gerenciamento das câmeras

As câmeras podem ser gerenciadas por diferentes estruturas de gerenciamento. Já mencionamos o DVR e o NVR, mas cabe uma explicação mais detalhada sobre o que são essas opções gerenciadoras.

DVR é uma opção bastante recorrente no mercado, mas não é tão adequado para sistemas IP como o NVR, que confere ao CFTV IP uma qualidade alta nas imagens e na execução geral das gravações.. Vamos conhecê-los melhor.

DVR Stand Alone

Vamos começar com a opção mais básica. Entre os sistemas de gravação, um dos mais procurados é o DVR, por apresentar bom custo-benefício e funcionalidades para aqueles que querem garantir um nível mais elementar de proteção. O Digital Video Recorder (Gravador digital de vídeo) realiza o registro de imagens de vídeo em um disco rígido (ou HD, hard drive).

NVR

Já o Network Video Recorder é uma opção mais robusta, apesar de apresentar um funcionamento similar ao DVR. A diferença principal entre as duas estruturas é que, além de monitorar, o equipamento ainda gerencia as câmeras por meio do IP, utilizando a internet.

O NVR apresenta uma capacidade maior para reproduzir imagens em alta resolução. Portanto, é a opção mais indicada para utilização na estrutura CFTV IP para residência.

Disco rígido

O disco rígido, ou HD, é o equipamento utilizado para arquivar as imagens capturadas. Há opções de 500GB, mas, para o CFTV IP, o ideal é garantir uma quantidade maior de espaço. Há versões mais modernas que oferecem até 10TB para o armazenamento dos vídeos.

Além disso, é necessário considerar o sistema de gravação antes de escolher o disco rígido. Opções mais robustas, como o DVR Full HD, vão exigir um espaço disponível considerável para manter a gravação operando sem interrupções por um período mais prolongado.

É fundamental analisar detidamente as informações específicas do produto para ter a certeza de que o disco rígido escolhido vai cumprir os requisitos exigidos pelo sistema de gerenciamento contratado.

Câmeras de monitoramento

Quando pensamos em sistemas de vigilância, são as câmeras que vêm logo à mente. Assim, é fundamental escolher os aparelhos com propriedade para proteger a sua residência da melhor forma. Como estamos falando do CFTV IP, é importante conhecer os dispositivos adequados à tecnologia.

O grande diferencial das câmeras IP é o acesso remoto por meio de smartphones, garantindo conforto e acessibilidade. É importante esclarecer que a tecnologia IP é uma característica do produto e não um modelo de equipamento, já que esse recurso pode ser encontrado em diversos modelos de câmera, como:

  • dome;
  • speed dome;
  • bullet.

Quando mencionamos uma câmera com tecnologia IP, a denominação serve para descrever um aparelho que opere com um servidor particular, reproduzindo um IP específico. Isso possibilita que as imagens capturadas sejam transmitidas pela internet.

São dois os tipos de câmeras de segurança que operam por meio de protocolo de internet. Temos o modelo com fio, que também é encontrada no mercado como câmera IP externa, com tempo de vida útil otimizado. Mais facilmente encontrada nos modelos dome e bullet, fornece altíssimas resoluções com o padrão megapixel.

Há, ainda, a modalidade sem fio, também conhecida como IP wireless, tal como o padrão de conexão com o qual já estamos acostumados no uso diário. O modelo sem fio é, em geral, mais barato, mas não oferece uma qualidade de imagem tão boa quanto a opção com fio.

Cabos, conectores e fontes

Escolher a estrutura de cabeamento mais indicada pode ser um procedimento complexo para leigos, mas a boa notícia é que há duas opções principais: coaxial e UTP.

Na opção conhecida como coaxial, os dois condutores presentes no cabo têm um eixo central comum, com um fio de cobre e um blindado utilizando mesmo material. Já consolidado no mercado, esse cabeamento oferece uma boa defesa contra oscilações e turbulências no sistema elétrico.

Já os cabos UTP são as soluções mais empregadas em sistemas CFTV IP. Também chamados de cabos de par trançado, são bastante frequentes em estruturas de redes de computadores e em CFTVs em geral. Para realizar a implementação correta, é preciso que conversadores sejam instalados na saída da câmera e na entrada do monitor (ou no seletor de vídeo).

Depois de realizar a instalação do cabeamento adequado, é hora de alocar os conectores. Geralmente, são utilizadas duas conexões na instalação: um dos cabos é conectado diretamente ao gravador e o outro é posicionado junto à câmera segurança.

Os dois modelos de conectores mais implementados em circuitos fechados de vigilância são:

  • modelos com encaixe parafusado (também conhecidos no mercado como borne);
  • modelo do tipo solda.

Existem, ainda, os conectores que se ligam aos cabos de sinal de forma direta, chamados de cabos de vídeo. Para finalizar, temos aqueles que são conectados aos cabos de alimentação. De forma geral, o agrupamento mais básico realizado em CFTVs reúne um conector BC (vídeo) alinhado a um P4 (energia).

De acordo com Julio Ross, em seu livro “CFTV — Analógico e digital”, são dois os tipos mais básicos de alimentação utilizados em câmeras para sistemas CFTV: 12VDC E 24VAC. Como o segundo tipo é mais indicado para opções mais avançadas, é uma boa indicação para o seu CFTV IP.

Ao contrário dos modelos 12VDC, a alimentação dos 24VAC podem operar em distâncias superiores a 200 metros, com a junção correta com um bom sistema de cabeamento. Assim, segundo Ross, a alimentação a câmeras externas é facilitada, mesmo que não exista nenhum ponto específico de alimentação mais próximo.

Preparação para instalar um CFTV IP

Para realizar toda a operação sem comprometer a qualidade, o mais indicado é procurar uma empresa experiente para adquirir os aparelhos, com consultores especialistas no assunto. Dessa forma, será possível garantir um nível alto de segurança para a sua residência e seus familiares. Vamos conhecer algumas dicas para iniciar a instalação.

Preste atenção à largura correta da banda

As câmeras do sistema CFTV IP operam por meio de conexão à internet, dispensando a utilização de cabos na hora da instalação. Desse modo, é necessário considerar a largura da banda do local onde será implementada a solução digital.

Para manter a gravação de imagens em alta definição de modo contínuo, os aparelhos do CFTV IP precisam de uma estrutura compatível para operar de modo adequado. É uma boa ideia se atentar à medição de bits por segundo para realizar a escolha certa.

As câmeras realizam o processo de compressão de vídeos antes da emissão ao sistema IP, gerando um tamanho de kbps por segundo. Assim, a largura da banda deve ser verificada levando em consideração o número de aparelhos instalados para oferecer um nivelamento entre esses dispositivos e otimizar a estrutura.

Posicione os equipamentos de modo estratégico no local

Os aparelhos utilizados pelo CFTV IP, em meio às soluções mais antigas, se destacam pelo elevado nível de cobertura e modernização de todo o sistema de vigilância. Porém, sempre existem locais estratégicos de monitoramento.

Para diminuir o consumo contínuo de banda larga e obter melhores resultados, é fundamental mapear toda a área que será monitorada pelo sistema CFTV para descobrir os melhores pontos para instalar as câmeras. É necessário buscar um espaçamento adequado para eliminar possíveis pontos cegos que possam comprometer a vigilância.

Confira se os equipamentos se adéquam devidamente ao sistema CFTV IP

Como vimos no tópico anterior, o CFTV IP apresenta algumas requisições. É necessário estar atento para não adquirir aparelhos muito defasados e não cumprir com as exigências da solução digital. Quando uma estrutura analógica já opera no local, é preciso verificar a compatibilidade do DVR instalado com as novas câmeras IP a serem adotadas.

Dependendo do número de câmeras implementadas, é preciso analisar a possibilidade de utilizar o sistema NVR ou até um software mais especializado para gerenciamento de vídeo.

Para ajudá-lo na tarefa, considere a possibilidade de consultar uma empresa especializada para fornecer as respostas. Alguns itens indispensáveis para esse tipo de configuração:

Priorizar o gerenciamento NVR

E por falar em adequação, o NVR merece um tópico especial. Embora o gerenciamento via DVR não seja totalmente incompatível com o CFTV IP, não é o mais adequado por possuir uma capacidade de armazenamento e operação inferior ao NVR.

Os NVRs são fundamentais para garantir uma qualidade superior da imagem capturada, com alta performance de execução das gravações. São mais flexíveis, pois possibilitam a conexão de câmeras em qualquer local da rede. Além disso, a compressão das imagens é bem mais otimizada, resultando num menor consumo da banda disponível.

Configure o foco automático

Mesmo com toda a evolução da tecnologia aplicada aos sistemas de segurança, o ajuste das câmeras continua um assunto complicado. O ajuste fino nos equipamentos ainda pode ser dificultado pelo posicionamento falho dos aparelhos.

Felizmente, os equipamentos IP possibilitam os ajustes no foco de forma remota, por meio de um navegador de internet. Desse modo, é possível acionar as configurações de ajuste para aproveitar todas as funcionalidades do CFTV IP.

Facilite o processo de backup

A fim de tornar as imagens mais acessíveis para futuras consultas e não correr o risco de perder suas gravações, instale cartões de memória em suas câmeras IP. Dessa forma, é possível se precaver contra falhas e oscilações na rede e proteger as informações em caso de ciberataques ao sistema virtual de uma empresa, por exemplo.

De forma geral, os equipamentos IP oferecem espaço extra para a alocação desses cartões. É uma boa medida inserir um desses itens em cada câmera para otimizar suas operações.

Como pudemos perceber no artigo, a solução digital oferece um nível de proteção bem mais robusto em comparação com as estruturas analógicas. O CFTV IP é o sistema mais completo para proteger a sua residência. Mesmo com um número menor de câmeras instaladas, a cobertura é oferecida é bem maior, facilitando o acesso às autoridades policiais.

O CFTV IP para residência é bastante funcional, mas as soluções digitais podem servir, também para proteger o seu negócio. Com a alta qualidade de imagem oferecida, será bem mais fácil conseguir nitidez para identificar pessoas, vigiar o ambiente e ainda combater fraudes.

Este conteúdo despertou o interesse para conhecer mais sobre sistemas de vigilância e soluções inovadoras para proteger a sua residência e os seus negócios? Então, aproveite a visita e conheça nossas soluções!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *