Blog

CFTV na nuvem: entenda como funciona esta tecnologia
Tecnologia

CFTV na nuvem: entenda como funciona esta tecnologia

Depender exclusivamente de dispositivos móveis para arquivar as imagens geradas pelo circuito de vigilância é extremamente perigoso. Isso porque elas podem ser facilmente furtadas ou, até mesmo, adulteradas por pessoas mal-intencionadas.

Isso posto, qual é a melhor forma de garantir armazenamento otimizado e consulta facilitada aos arquivos? É o caso do CFTV na nuvem. Neste post, falaremos mais sobre esse tipo de projeto, seus benefícios e suas funcionalidades. Acompanhe conosco!

O que é a gravação de CFTV na nuvem?

É o ato de capturar e armazenar imagens e vídeos do sistema eletrônico de segurança diretamente na internet. Assim, desde que esteja conectado à rede, o cliente consegue acessar todo o produto desse monitoramento de qualquer lugar.

Isso dispensa a aquisição de múltiplos discos rígidos para armazenar imagens, por exemplo. O serviço também é escalável: se uma empresa precisar de mais espaço, é possível contratar serviços diferenciados que acompanhem o crescimento e a busca por um nível superior de vigilância.

Como funciona a gravação de CFTV na nuvem?

O CFTV na nuvem tem como principal diferencial a possibilidade de acompanhar as imagens a distância, podendo-se, até mesmo, solicitar a ajuda das autoridades com a utilização de um smartphone.

Além disso, o armazenamento direto na rede funciona como uma espécie de disco rígido portátil, sem as limitações físicas de um equipamento desse tipo — quedas podem danificá-lo permanentemente, assim como há a possibilidade de furtos e roubos.

Os vídeos e imagens criados pelo sistema de vigilância são lançados diretamente em um servidor na internet, com armazenamento automático. Isso facilita não só o arquivamento, como a consulta rápida — o que é especialmente importante na hora de revisitar imagens e identificar autores de roubos.

O sistema de nuvem recebe a segunda imagem emitida pelas câmeras, uma vez que a primeira é mantida no armazenamento local. Essa vantagem é pertinente, já que o risco de que algum invasor mal-intencionado apague os arquivos é minimizado.

Quais são os principais benefícios da gravação na nuvem?

Proteção das imagens

Durante a ocorrência de um crime, é natural que os invasores tentem destruir ou danificar o CFTV, para impedir que as imagens cheguem às autoridades. Com a gravação em nuvem, é como se você constantemente mantivesse cópias dos seus arquivos inacessíveis para pessoas mal-intencionadas.

Aviso em caso de interrupção da gravação

Suponha que você precisa consultar um vídeo de alguns meses atrás. Porém, ao checar os arquivos, nota que as câmeras não estavam realmente gravando. E agora?

Esse tipo de problema não ocorre com a gravação em nuvem. Mesmo que o sistema pare, um aviso chega rapidamente ao usuário, informando-o sobre o problema.

Facilidade na consulta

O sistema de gravação na nuvem da Giga Security, por exemplo, utiliza a plataforma Monuv. Por meio das ferramentas de busca, o usuário consegue encontrar determinados eventos de forma bem mais ágil.

Isso porque a plataforma exibe as imagens em miniatura, com a possibilidade de reproduzir até 60 delas ao mesmo tempo. Desse modo, é mais fácil realizar a localização e encontrar rapidamente o evento específico procurado.

Como se não bastasse, o usuário ainda consegue baixar os vídeos diretamente em seu computador ou smartphone e enviá-los para quem quiser. Assim, o envio de imagens para as autoridades, durante uma investigação, é otimizado.

Monitoramento via dispositivos móveis

O monitoramento realizado diretamente por um smartphone, por exemplo, permite que o proprietário cheque a vigilância em sua residência de forma remota. É até mesmo uma questão prática: ao chegar do trabalho, a última coisa que queremos é vigiar o perímetro da nossa residência.

Com esse monitoramento, mesmo que o usuário esteja a quilômetros de distância, ele pode acionar as autoridades e transferir as imagens para facilitar a ação dos policiais.

Como instalar um sistema de CFTV na nuvem?

Para conseguir gravar na nuvem de forma adequada, é preciso entender as características específicas do projeto. Primeiro, uma boa notícia: não é necessário trocar todas as câmeras para opções IP.

Isso porque a plataforma consegue liberar o acesso tanto para equipamentos IP como para DVRs. Dessa forma, é possível apostar em um sistema inteiramente digital ou misto, por exemplo, dependendo do orçamento e dos objetivos do projeto.

Um dos diferenciais desse sistema, que facilita a instalação e o funcionamento imediatos, é que a gravação em nuvem utiliza apenas a banda de upload. Isso significa que esse tipo de projeto não exige uma velocidade de conexão muito elevada.

Assim, quando você estiver elaborando seu projeto, não é preciso requisitar um aumento significativo na velocidade de conexão da propriedade. Isso se explica pelo fato de que o acesso às imagens é realizado por meio da plataforma em nuvem.

Além disso, não é preciso se preocupar com o número de pessoas que acessarão as câmeras. Coma a gravação fica na nuvem, é possível liberar a visualização para todos os moradores de um condomínio, por exemplo, já que esse trabalho não ocupa a rede de internet do local — e sim o servidor do sistema.

O que é o acesso via DDNS?

É um serviço exclusivo para os clientes da Giga Security. Totalmente gratuito, o acesso via DDNS possibilita aos usuários a criação de domínios próprios para o monitoramento de imagens e o gerenciamento direto de equipamentos de segurança. Tudo isso ocorre pela internet, de forma remota e prática.

Com ele, o usuário consegue gerenciar os equipamentos (sejam eles HVRs, NVRs ou câmeras IP) por meio de dispositivos móveis, como tablets e smartphones. Isso dispensa a necessidade da presença física no mesmo local onde se encontra o sistema de segurança.

Também é possível visualizar as imagens com a utilização de um notebook ou computador de mesa conectado à internet e que use navegadores como o Google Chrome. Com um software VMS, torna-se ainda mais fácil controlar os equipamentos.

Por fim, o acesso via DDNS disponibiliza um painel bastante intuitivo, dentro do site da Giga Security. Dessa forma, é possível controlar o domínio ao qual foram vinculados os equipamentos de segurança. Junto aos benefícios do CFTV na nuvem que conhecemos neste artigo, trata-se de uma inovação importante para elevar o nível de proteção da propriedade.

Gostou do artigo e quer continuar lendo conteúdos semelhantes? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro das nossas atualizações em primeira mão!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *