Blog

10 cidades mais seguras do mundo e o que elas têm a ensinar
Segurança

10 cidades mais seguras do mundo e o que elas têm a ensinar

A segurança é um dos aspectos que mais preocupam os cidadãos brasileiros. Afinal de contas, não é possível pensar em qualidade de vida quando não podemos sentir tranquilidade tanto fora quanto dentro de nossas residências, não é mesmo? Nesse sentido, é muito importante entender, ainda que brevemente, quais as principais características adotadas pelas cidades mais seguras do mundo.

Pensando nisso, ao longo deste artigo apresentamos 10 das cidades que atendem com maestria a esse quesito, a fim de refletirmos acerca do que pode ser incorporado às especificidades de nossas cidades. Boa leitura!

1. Tóquio

A partir de uma vasta rede de unidades em forças policiais, a cidade de Tóquio apresenta um dos mais antigos modelos de policiamento comunitário de todo o mundo. Apenas na capital japonesa são cerca de 1.200 kobans, como são chamadas.

Dentro de cada koban, sempre há, pelo menos, dois agentes de segurança em plantão. Outros servidores atuam junto às comunidades, de bicicleta ou a pé, dialogando com os comerciantes e cidadãos da cidade.

De modo geral, os policiais são considerados amigos das pessoas, comunicando-se com elas e sabendo onde moram. Dessa forma, a maior parte das ocorrências diárias se resumem a auxiliar pessoas perdidas e receber pertences ou cartas esquecidas.

2. Singapura

Singapura é bastante conhecida pela baixa criminalidade e a rigorosidade de suas leis. É chamada, por muitos turistas, de “a cidade das multas”. Com efeito, muitas coisas são proibidas por lá.

Não obstante, qualquer pessoa pode caminhar calmamente em suas ruas a qualquer horário, pois a quantidade de câmeras espalhadas, formando um CFTV, inibe a ação de criminosos e pessoas mal-intencionadas.

3. Amsterdã

Em comparação com as outras cidades mencionadas, Amsterdã oferece um nível razoável de segurança. Com efeito, batedores de carteiras e furtos são ocorrências comuns (tanto que a área de Damrak é notória por isso). Contudo, praticamente não há crimes violentos ou assaltos.

Embora na região de Red Light seja aconselhável não tirar foto das garotas nas vitrines ou comprar objetos comercializados pela rua, basta ter um pouco de atenção para evitar regiões de balada, tais como Rembrandtplein e Leidseplein, nas quais nem mesmo o aparato de segurança eletrônica é suficiente para evitar uma ou outra confusão.

4. Sydney

A mais importante cidade australiana apresenta índices extremamente baixos de criminalidade, sobretudo quando comparada às metrópoles brasileiras e outras localizadas em países em desenvolvimento. A legislação é rígida com todos os cidadãos, sem exceções.

Logo, é imprescindível respeitar as normas para a ingestão de bebidas alcoólicas em lugares públicos, as ordens das autoridades e os regulamentos de trânsito. Os cidadãos, diante de qualquer emergência, podem ligar 000. Os atendentes estão adequadamente preparados para identificar a natureza do problema e transferir o chamado à autoridade competente.

5. Toronto

A cidade canadense de Toronto, tida como extremamente segura, tem saído na frente de líderes históricos no quesito ao longo dos últimos períodos, como a suíça Zurique e a sueca Estocolmo.

No passado recente, Toronto vem avançando paulatinamente, com a ajuda de equipamentos modernos, apesar de estar imersa em uma enorme diversidade cultural e humana, sendo tão cosmopolita quanto Nova Iorque ou São Paulo, por exemplo.

6. Washington

A capital dos Estados Unidos é uma cidade altamente segura. No entanto, como em quaisquer metrópoles, não está inteiramente livre de certos perigos, como roubos e furtos, principalmente nas áreas mais centrais.

Diferentemente de Brasília, as instalações físicas da polícia são, em termos práticos, praticamente “invisíveis” (vale destacar que inexistem “quartéis”). Desse modo, a presença policial se materializa na figura do veículo e/ou patrulheiro de acionamento virtual, por meio do famoso 911.

7. Copenhagen

Copenhagen é, na atualidade, um dos melhores lugares para residir no mundo. De fato, a tranquilidade transparece nos rostos de adultos e crianças, à medida que os seus indicadores de violência são os menores de todo o planeta.

Desde a valorização do uso de bicicletas como meio de locomoção à criação do pioneiro bairro totalmente adaptado às alterações climáticas, a cidade dinamarquesa é um verdadeiro exemplo. Copenhagen, precursora nas construções de ciclovias, deseja, agora, ser uma das primeiras a aplicar os princípios de uma “cidade inteligente”.

Isso significa que uma rede de iluminação em LED já está sendo utilizada para otimizar os ambientes urbanos nos mais variados aspectos, como sinalizações para ciclistas e o consumo de combustíveis pelos caminhões.

Quanto às bikes, luzes verdes direcionam as ciclovias, evitando que os usuários fiquem parados em sinais vermelhos. As demais luzes do trânsito são equipadas com a tecnologia de sensores capazes de avisar aos motoristas, via smartphone, quando os sinais mudarão, assim reduzindo o consumo de combustíveis.

Como a criminalidade não é um problema grave, a segurança eletrônica passa, então, a se concentrar em otimizar as condições de tráfego urbano, pois esse fator também contribui para uma maior sensação de segurança dos cidadãos.

8. Seul

Em Seul, existe uma curiosa prática de “recriação de crimes”. Os suspeitos de terem cometido, por exemplo, assassinatos ou estupros, são levados pelas autoridades (devidamente algemados) à cena do crime.

Em seguida, são obrigados a reencenar os atos criminosos em público. Para que o suspeito seja ainda mais constrangido, a mídia é chamada para acompanhar e registrar as reencenações.

9. Melbourne

Em Melbourne, na Austrália, é comum que seus habitantes caminhem pelas ruas, inclusive de madrugada, sem se preocupar com a possibilidade de sofrer roubos ou assaltos. Praças e parques são muito bem vigiados e explorados em larga escala pela população local.

Esse clima de segurança foi um dos maiores responsáveis pelo fato de a cidade ter sido eleita, por 7 anos consecutivos, como a melhor cidade para viver, de acordo com a revista “The Economist”.

10. Chicago

A cidade de Chicago recentemente passou a figurar na lista das cidades mais seguras do mundo, uma vez que os pontos turísticos principais passaram a ser extremamente bem monitorados e iluminados. Assim, é possível caminhar à noite tranquilamente por parques ou praias.

O policiamento, por sua vez, tende a ser bastante eficiente, diminuindo significativamente os índices de criminalidade. Entretanto, Chicago é uma cidade muito segregada, por vezes gerando conflitos de origem étnica envolvendo habitantes oriundos da América Latina, Polônia, Grécia e Itália, além de brancos e negros estadunidenses.

Cumpre ressaltar, por fim, que a humanidade reside, majoritariamente, em centros urbanos. Esse processo tem se desenvolvido em velocidade maior do que inicialmente previsto pelos especialistas.

Com quantidades maiores de pessoas dividindo os mesmos espaços, os riscos aumentam e, consequentemente, também crescem os desafios que as cidades mais seguras do mundo têm, até o momento, conseguido superar.

Gostou do post? Então, não perca a oportunidade de conhecer os 11 fatos que provam que você precisa se proteger morando no Brasil!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *