Blog

Como evitar choques elétricos durante a instalação de CFTV?
Segurança

Como evitar choques elétricos durante a instalação de CFTV?

Entre outras coisas, a instalação de CFTV é um dos principais serviços oferecidos pelo profissional de segurança eletrônica. No entanto, é fundamental que esse operador saiba trabalhar de maneira preventiva, reconhecendo como evitar choques elétricos durante a execução de seu serviço.

Sendo assim, aproveitamos a importância do tema para elaborar este post especial. O nosso objetivo é enriquecer essa leitura com uma série de dicas práticas, facilitando o seu cotidiano e garantindo que você realize as instalações de maneira eficiente, produtiva e segura. Portanto, acompanhe!

As melhores dicas sobre como evitar choques elétricos na instalação de CFTV

Embora fatalidades não sejam comuns durante a instalação desses sistemas, vale lembrar da tremenda responsabilidade sobre os ombros do instalador. Afinal de contas, esse profissional precisa lidar com extrema cautela no manuseio de cabos, fontes e conexões, evitando contatos indevidos ou qualquer outra prática que o ponha em situação de vulnerabilidade.

Por isso, preparamos este miniguia preventivo, com um total de nove dicas pontuais para promover a segurança no seu trabalho. A certo modo, seguir todas essas dicas é uma das melhores formas de garantir sua proteção, certificando-se de que não haverá problemas durante a instalação. Agora, acompanhe!

Nunca sobrecarregue as instalações

Ainda que o mercado esteja tomado por réguas, filtros, Ts e acessórios afins, que multiplicam o número de entradas à rede elétrica, é muito importante que o instalador não sobrecarregue nenhum desses pontos — não somente para evitar choques durante a instalação, mas também para garantir a confiabilidade do sistema de CFTV durante o monitoramento.

Utilize equipamentos de segurança

Os famosos e importantes EPIs, mais especificamente conhecidos como Equipamentos de Proteção Individual. Um bom profissional reconhece a importância desses aparatos e, por conta disso, está sempre com eles em mãos, utilizando luvas, botas, ferramentas etc., principalmente durante procedimentos diretos, como ao crimpar um cabo.

Implemente organizadores elétricos

Normalmente, a principal causa de choques é um misto da falta de atenção e desorganização, em que o instalador desatento encosta em fios desencapados ou coisas do tipo.

Para contornar essa situação, é interessante adotar organizadores nos seus projetos, segmentando cabos, fontes e conexões da maneira mais segura possível. Com isso, você garante tanto a sua segurança como a do seu cliente.

Seja cauteloso ao se aproximar de vítimas de choques

Quando trabalhando em duplas ou grupos, é normal que nosso senso de cooperatividade fique aguçado, estimulando uma ação rápida no socorro ou auxílio dos outros. No entanto, é importante que você entenda os riscos da aproximação a uma pessoa que está sendo vítima de um choque elétrico.

Caso você toque nela com a mão nua, a corrente elétrica também será transferida para você, o tornando uma vítima do problema que tentou resolver. Para contornar a situação, você deve afastar a pessoa que está sendo eletrocutada do elemento provocador da descarga — logicamente, com um material não condutor, como borracha, madeira, cordas ou afins.

Preste atenção às tomadas

Os soquetes podem estar molhados, gastos, frouxos e em uma infinidade de outras situações de grande perigo.

Portanto, sempre avalie as condições gerais da tomada, certificando-se de que a instalação será segura para você da mesma maneira que a utilização prolongada do sistema, sem que a conexão tenha riscos de descargas elétricas e/ou incêndios no longo prazo.

Verifique a qualidade dos cabos

Já aqui, retornamos para um ponto anterior ao organizador dos cabos. Pois veja, em boa parte das vezes, os instaladores são chamados para operar em um projeto antigo, apenas realizando melhorias, manutenções e substituindo alguns dispositivos. No entanto, durante o manuseio dos cabos antigos é perfeitamente comum que eles estejam gastos e com a fiação exposta.

Caso o profissional não perceba isso, ele pode sofrer um choque violento, mesmo que por um breve contato. Por isso, o foco visual sempre deve anteceder o manuseio prático, evitando que fatalidades aconteçam pela falta de atenção sobre um detalhe.

Sempre que possível, desligue a energia do local

Essa é uma dica bastante relativa, pois nós entendemos a realidade dos instaladores. Afinal de contas, nem sempre é possível exigir que uma indústria ou empresa de monitoramento de segurança desligue seus sistemas na prerrogativa de uma instalação elétrica.

No entanto, sempre que isso for uma possibilidade, quando a empresa conta com componentes como geradores e nobreak, aceite! Desligar toda a corrente elétrica é a única maneira definitiva de garantir sua segurança durante todas as etapas da instalação, assegurando sua proteção até mesmo nas situações em que você agir de maneira desatenta.

Dedique especial atenção às técnicas de vedação

Uma boa instalação, principalmente as externas, deve conter uma solução vedante, impendindo que a água ou umidade acesse os circuitos eletrônicos dos dispositivos ou entre em contato com os cabos. Para tanto, você pode optar por equipamentos como caixas herméticas, aplicação de silicones, fitas e outros.

Utilize dispositivos de qualidade

Por último e definitivamente mais importante, as câmeras Wi-Fi, convencionais e demais equipamentos dos seus projetos. Não há como fugir disso, sendo praticamente uma regra de mercado: boas fabricantes equivalem à boa performance. Isso vale para a sua segurança, uma vez que dispositivos de boas marcas costumam ser construídos com técnicas de vedação de padrão industrial — IP66 e 67, por exemplo.

A mesma coisa tende a se repetir no cabeamento desses dispositivos, que uma vez fabricados com boa confiabilidade, serão mais duráveis, robustos, revestidos e protegidos, garantindo que o seu cliente terá um sistema operacional por mais tempo e com mais segurança, reduzindo custos indenizatórios e de manutenção.

Por fim, uma dica que se tornou cada vez mais fácil de implementar no Brasil, que é a preferência por dispositivos com tomadas de três plugues. Afinal de contas, a existência de um terceiro ponto representa o aterramento da conexão, adicionando uma camada adicional à segurança dos instaladores e seus clientes.

Pois bem, você gostou deste material explicando como evitar choques elétricos durante a instalação de CFTV? Então vê se não perde a chance de continuar estudando o tema, conferindo o nosso post especial sobre essa questão, em que explicamos os 7 erros mais comuns na instalação de circuitos fechados de câmeras!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *