Blog

Consumidor 3.0: como ele impacta o mercado de segurança eletrônica?
Vendas

Consumidor 3.0: como ele impacta o mercado de segurança eletrônica?

A transformação digital não serve apenas às empresas: ela impacta também os clientes, que passam a contar com a tecnologia para encontrar produtos e serviços melhores. Isso faz com que eles se tornem mais criteriosos, principalmente quando o assunto é segurança eletrônica.

Assim, surge o consumidor 3.0. Neste post, apresentaremos o conceito com detalhes, suas principais características e dicas para satisfazer esse tipo de cliente. Você verá como as empresas precisam se reinventar para lidar com esse novo paradigma. Acompanhe conosco!

Quem é o consumidor 3.0?

Atualmente, vivemos a terceira versão do consumo. Para explicar melhor o conceito, é uma boa ideia falar um pouco sobre os modelos anteriores. Podemos dizer que o consumidor 1.0 surgiu juntamente com a popularização da internet — principalmente com a implementação da banda larga em nosso país no início deste século.

Contudo, é preciso dizer que essa rede ainda era bastante diferente do que temos hoje. Isso porque já havia uma boa quantidade de empresas que apostavam no comércio eletrônico, mas operando com sites precários e pouca agilidade.

A intenção principal era direcionar o consumidor em potencial até a loja física. Por sua vez, tal estratégia parece inimaginável nos dias de hoje, já que é bem mais fácil encontrar múltiplas opções e fechar compras sem precisar sair de casa.

Quando esse modelo de negócio foi aprimorado, as compras passaram a ser realizadas diretamente nas páginas. Era o início do consumidor 2.0: aqui, os internautas já passavam a contar com mais recursos para realizar comparações de preços e estoques.

A transformação digital seguiu seu curso e, hoje, vivemos a era do consumidor 3.0. Os smartphones se tornaram aliados valiosos do e-commerce. Afinal, para que sair de casa ou depender apenas de um computador de mesa para pesquisar e comprar os produtos?

Além disso, a própria internet se tornou mais acessível a um grande número de pessoas. O que era um luxo se tornou uma ferramenta cotidiana. Ciente desse fato, empresas que se dedicam exclusivamente ao comércio on-line começaram a surgir, acirrando a competição no mundo virtual.

Desse modo, agora são as próprias companhias que precisam ir atrás dos clientes. Isso porque ele tem todo o poder de decisão a apenas um clique de distância, além de uma enorme variedade de lojas, de acordo com seu perfil e suas preferências.

O que influencia o comportamento do consumidor 3.0?

Mas será que os padrões de consumo desse novo cliente são ditados apenas pela variedade de produtos à disposição? Vamos descobrir os principais fatores que o influenciam na sequência.

Muitas informações à disposição

Vimos como a internet modificou toda a forma com que os consumidores lidam com as empresas. Além disso, com o acesso facilitado em dispositivos móveis e equipamentos cada vez mais sofisticados, ficou mais fácil ter acesso a qualquer tipo de informação — e a qualquer momento.

Assim, o consumidor 3.0 tem como uma de suas principais características a curiosidade: ele é capaz de consultar o preço e o custo-benefício dos itens que deseja adquirir. Esse cliente em potencial consegue realizar comparativos de valores, condições e prazos para pagar.

Ampla utilização de redes sociais

O consumidor 3.0 é um usuário de redes sociais por excelência. Por meio delas, as pessoas conseguem descobrir o que os outros consumidores dizem sobre determinados produtos e as respectivas marcas que os desenvolveram.

Com poucos cliques, é possível gerar um apanhado da opinião geral sobre determinado item. Além disso, os feedbacks deixados nas redes sociais dizem muito sobre a qualidade do atendimento, o nível de conhecimento dos profissionais da empresa e taxas relacionadas às reclamações, por exemplo.

As redes sociais revitalizaram o marketing boca a boca. Se antes as pessoas comentavam sobre produtos e empresas em encontros ao vivo ou por telefonemas, as redes sociais tornaram suas opiniões bem mais visíveis para um público-alvo maior.

Sensibilidade e atenção redobradas aos preços

Como sabemos, o custo final de um produto é um dos fatores que mais fazem diferença na hora de concretizar uma compra. Por isso, se apoiar no peso da sua marca e não oferecer valores razoáveis aos clientes é uma estratégia bastante perigosa.

Para corrigir isso, é importante oferecer alguns descontos sazonais (relacionados a determinados períodos do ano) e premiar aqueles clientes que mais interagem com seus produtos ou serviços. Dessa forma, o vendedor atrai novos consumidores e fortalece os laços com aqueles que sempre priorizaram o seu trabalho.

Autopromoção

Existe uma rede social para a postagem de fotos, outra para canais de vídeos e até mesmo a possibilidade de exibir as músicas de que uma pessoa mais gosta. O consumidor 3.0, por mais discreto que possa parecer, acaba se autopromovendo de qualquer forma.

Isso se relaciona também à facilidade de acesso e ao tempo dedicado à navegação na internet. A própria rede oferece meios para que as pessoas passem o maior tempo possível nas redes sociais — e o sucesso de cada uma delas atesta essa característica do consumidor 3.0.

Como os usuários utilizam essas redes para exibir seus gostos e conquistas pessoais, as empresas, por meio do trabalho de cientistas de dados, conseguem traçar padrões de comportamento e desenvolver novas estratégias de venda.

Busca por recompensa instantânea

O perfil do cliente 3.0 é imediatista por natureza. Com a agilidade na hora de realizar as pesquisas dos produtos de que ele mais precisa, esse cliente busca as empresas que ofereçam o maior número de descontos e facilidades. Sua loja tem um site? Busque meios bastante visíveis de se destacar!

Como ele impacta o mercado de segurança?

Esse novo consumidor é extremamente exigente, até pela facilidade em encontrar novas empresas caso os produtos adquiridos não o satisfaçam. Para agradá-lo, é necessário que os profissionais se mantenham em constante atualização para prover os melhores equipamentos e serviços.

Além disso, para atender melhor esse consumidor, é uma boa ideia apostar na interação via redes sociais. Como pudemos ver ao longo do texto, elas se tornaram protagonistas na nova era das relações entre organizações e clientes.

Nessa configuração, algumas opiniões negativas podem minar a reputação de um negócio de forma irreversível. Desse modo, é importante que os profissionais estejam sempre atentos para responderem às reclamações rapidamente. É um ótimo meio de prospectar novos clientes e fidelizá-los devidamente.

Além disso, é relevante oferecer uma consultoria de alto nível. Dessa forma, a empresa se mostra competente o suficiente para atender a todas as exigências do consumidor 3.0.

É importante lembrar ainda que os clientes de segurança eletrônica lidam com a proteção direta de suas propriedades. Assim, todas as características desse consumidor 3.0 se somam à necessidade de segurança, redobrando a responsabilidade dos empreendedores.

E aí, o que achou do artigo? Para complementar essa leitura, visite agora mesmo nosso post com um passo a passo para encantar os seus clientes!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *