Subscribe Now

Trending News

Manutenção de equipamento de segurança: dicas para você não errar
Produtos

Manutenção de equipamento de segurança: dicas para você não errar

Garantir a correta manutenção de equipamento de segurança tem se tornado cada vez mais importante à medida que presenciamos substanciais elevações nos índices de invasões, assaltos e roubos. Esse cenário tem deixado muitos empresários inquietos e receosos quanto ao andamento regular de seus negócios.

De fato, quando os equipamentos de segurança não funcionam adequadamente, tanto os bens materiais quanto a vida das pessoas passam a correr sérios riscos. Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, excelentes dicas sobre o assunto, a fim de ajudar você a não errar na realização dessa tarefa tão importante. Boa leitura!

Ações que podem reduzir a vida útil dos equipamentos

Todos os equipamentos de segurança, por maiores que sejam suas qualidades e resistências, apresentam limitações em sua vida útil. Conforme esse período se aproxima do fim, as possibilidades de ocorrerem problemas aumentam consideravelmente.

O tempo de utilização desses equipamentos é um dos elementos que podem contribuir decisivamente para sua degradação, embora, obviamente, não seja o único. As condições gerais do ambiente no qual o equipamento foi instalado contribuem diretamente para tal acontecimento.

A má utilização também pode influenciar na deterioração dos equipamentos de segurança residencial ou comercial, motivo pelo qual eles devem ser manuseados com toda a perícia e cautela possíveis, para que não venham a apresentar defeitos ou quebras mais graves.

A importância dos reparos e manutenção

As manutenções devem ser realizadas não apenas para prolongar a vida útil e impedir a quebra dos equipamentos, mas para garantir que eles cumpram, da melhor forma possível, as funções a que se destinam.

A manutenção (principalmente, a preventiva) ajuda na redução de gastos, pois sempre que efetuada, alguns pequenos problemas que possam ter surgido são resolvidos de modo rápido e fácil, evitando interromper as atividades e reduzindo os custos associados a uma nova aquisição ou conserto.

Tenha em mente que a segurança de todos os presentes nos locais em questão depende, em grande medida, do funcionamento normal desses aparelhos. Eles lidam diretamente com as pessoas, logo, é crucial que estejam em boas condições, assegurando a integridade das pessoas.

A periodicidade das manutenções

Se você não sabe ao certo quando é a hora de reparar os seus equipamentos de segurança, fique tranquilo: não há um padrão universalmente válido. Como cada empreendimento apresenta características diferentes dos demais, o momento adequado para efetuar as manutenções também pode ser diferente de seus vizinhos e concorrentes.

Lembre-se de que os profissionais encarregados desses procedimentos devem estar sempre preparados e aptos para executar reparos quando solicitados.

Os principais tipos de manutenção

Há vários critérios que podem ser usados na rotina das equipes de segurança que são, com efeito, eficientes e competentes. Isso implica na necessidade de conhecer satisfatoriamente os tipos de manutenção que abordamos a seguir:

Manutenção preventiva

Esse tipo de manutenção destina-se a impedir que ocorram situações de emergência quando os equipamentos de segurança param de funcionar. Ao colocá-la em prática é possível analisar e acompanhar o seu desempenho, identificando o momento ideal de seu reparo ou troca sem que, para tanto, haja algum problema.

Por esse motivo, é altamente recomendável visitar os locais protegidos em períodos determinados previamente, não se esquecendo de analisar suas funcionalidades e gravações, bem como realizar todos os testes pertinentes.

Baseada na Curva de Tempo Médio para Falha (CTMF) a manutenção preventiva consiste em um método de troca de peças, calibrações, lubrificações, limpezas, ajustes e inspeção.

Ao realizá-la, você pode analisar e acompanhar o seu desempenho, a fim de determinar com exatidão o melhor momento para fazer uma troca ou reparo.

Por isso, é indicado visitar os locais em períodos determinados previamente e não se esquecer de fazer os testes apropriados, assim como avaliar suas funcionalidades e gravações.

Ela é extremamente útil, sobretudo, para evitar e prevenir defeitos, contribuindo para elevar a vida útil dos aparelhos, equipamentos e dispositivos de segurança, apresentando vantagens como:

  • o fato de ser ecologicamente correta;
  • aplicação frequente: não é necessário esperar até que apareçam problemas;
  • a limpeza periódica dos equipamentos;
  • diminuição da possibilidade de ocorrerem defeitos;
  • menor preço.

Entre as desvantagens da manutenção preventiva, destacam-se:

  • maior chance de ocorrerem falhas na contratação;
  • métodos inapropriados de operação que podem prejudicar a qualidade dos serviços prestados;
  • maior possibilidade de que os profissionais sejam mal preparados.

Manutenção corretiva

Como o seu próprio nome indica, as manutenções corretivas (também conhecidas pela sigla inglesa RTF, de “Run To Failure”) são realizadas com o intuito de consertar os equipamentos, isto é, elas são acionadas apenas quando os problemas ou defeitos já estão constatados.

Trata-se, em outras palavras, da manutenção para socorrer situações oriundas de ações não planejadas, acidentes e imprevistos. Caso seja acionada com demasiada frequência, ela pode provocar quedas consideráveis na durabilidade e na qualidade dos equipamentos.

Confira, a seguir, as principais características da manutenção corretiva:

  • é um recurso extremo: os equipamentos precisam apresentar defeitos e/ou falhas para receberem atendimento;
  • queda na produtividade: os dispositivos ficam fora de uso enquanto durarem os consertos;
  • preços mais altos: com custos comparativamente superiores em relação à mão de obra, peças e contratação de serviços.

Sem embargo, é vantajoso recorrer à manutenção corretiva somente quando é mais barato fazer reparos do que adquirir novos equipamentos de segurança. De modo geral, todavia, a manutenção preventiva é, sem dúvidas, muito mais conveniente, uma vez que diminui a possibilidade de falhas e reduz os gastos necessários para manter tudo funcionando bem.

Cabe ressaltar, por fim, que as tarefas de manutenção podem variar significativamente segundo o tempo necessário para a instalação. No caso de equipamentos recentemente instalados e que não demonstram danos relevantes, basta averiguar sua funcionalidade e fazer certos ajustes na configuração, caso isso seja realmente necessário.

Equipamentos que têm um maior tempo de uso, por sua vez, podem requerer a troca de suas peças ou a realização de mudanças maiores em suas configurações específicas. Em suma, quando se trata da manutenção de equipamentos de segurança, tais fatores não podem, devido a sua importância, ser negligenciados.

Gostou do artigo? Então, continue se aprimorando: entenda por que é importante contar com equipamentos de segurança com alta qualidade de imagem!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *