Subscribe Now

Trending News

Entenda o que é monitoramento inteligente e como oferecê-lo a seus clientes!
Tecnologia

Entenda o que é monitoramento inteligente e como oferecê-lo a seus clientes!

tecnologia não é uma parceira apenas das pessoas de bem. Muitos bandidos aproveitam as facilidades do WhatsApp para trocar informações sobre as vítimas: enviam mensagens sobre a rotina de empresas, informam a chegada de mercadorias de alto custo, utilizam câmeras para proteger chefes de facções ou para escolher o próximo carro que será roubado.

Diante desse grande desafio, tanto o Governo quanto as empresas privadas precisam buscar inovações no combate à criminalidade. Entre elas, está o monitoramento inteligente. Com o sistema, há inúmeras vantagens operacionais para cidades, empresas e até mesmo residências. Trata-se de um excelente recurso para enfrentar as ações de bandidos. Algum cliente já perguntou a você como funciona o sistema? Se ainda não, é bom ficar preparado. Confira nosso post!

O que é o monitoramento inteligente?

O sistema de monitoramento inteligente reúne várias tecnologias em um mesmo ambiente, captando imagem e som dos locais monitorados. Todos os dados são enviados para um software analítico, responsável pela configuração dos dados, que faz um cruzamento das informações para saber se há riscos, veículos que sejam fruto de furto ou roubo, abandono de objetos, aglomeração de pessoas, entre outros comportamentos fora da normalidade.

Graças aos avanços tecnológicos, o software pode emitir um alerta para a central de monitoramento, ou seja, a situação começa a ser acompanhada em tempo real, com as medidas necessárias para o problema ser resolvido. Essas medidas vão desde uma simples checagem do ambiente por um segurança até uma abordagem policial.

Como funciona o sistema?

De forma geral, câmeras são instaladas em pontos estratégicos com sensores que captam as informações em tempo real. Para você entender melhor o sistema, vamos dar o exemplo de uma cidade com monitoramento em todas as vias.

Ao passar um carro que tenha sido roubado em outra localidade, a câmera vai registrar a placa, enviando os dados para o sistema informatizado. Na tela do computador, o operador verá um pin representando o veículo. Ao clicar na imagem, observará a informação de que se trata de um objeto roubado. A partir daí, a central já entra em contato com as viaturas que farão a busca pelo carro: um excelente método para recuperar bens e prender bandidos.

Além disso, o monitoramento inteligente consegue ser muito útil em outras situações, como em eventos com grandes aglomerações de pessoas ou para identificar indivíduos que estejam agindo em praças, centros de cidades ou até mesmo em bairros residenciais.

Com imagens em alta resolução, é possível usar o zoom, chegando bem perto do rosto da pessoa, ou seja, a identificação contribui no êxito das buscas.

Como o monitoramento inteligente contribui com a segurança das cidades?

Diversas cidades brasileiras estão obtendo benefícios em razão do monitoramento inteligente. Entre eles, está o aumento na recuperação de veículos roubados, a captura de foragidos, bem como a retirada de armas das ruas.

Cruzando os dados de vários setores, como da Secretaria da Segurança Pública e Polícia Civil, entre outros órgãos, o sistema conta com o auxílio das câmeras particulares com o objetivo de aumentar a vigilância.

No Estado de São Paulo, o monitoramento inteligente é conhecido como Detecta. Ele reúne o maior banco de dados policiais da América Latina. Há informações e fotos de criminosos procurados, cadastro de pessoas desaparecidas e dados sobre veículos, como a documentação, se foram furtados, roubados ou clonados.

Assim, a rede aumenta a segurança e é uma verdadeira ferramenta de consciência situacional, com a resolução de crimes com mais agilidade. Só para você ter uma ideia da dimensão do sistema, somente de 2014 a 2017, as imagens captadas no Estado de São Paulo contribuíram para a prisão de 4.731 pessoas em flagrante, interceptaram 3.320 veículos e ainda apreenderam 276 armas de fogo. No período, as imagens fizeram a leitura de 20 bilhões de placas.

Quais as vantagens do monitoramento inteligente nas empresas?

Além do poder público, várias empresas estão instalando o monitoramento inteligente para evitar perdas nas linhas de produção, além de auxiliar na identificação de funcionários mal-intencionados.

Outro aspecto muito interessante influenciado pelo auxílio da tecnologia é na redução dos acidentes de trabalho. Isso porque as soluções baseadas em IoT (Internet das Coisas), como câmeras, alarmes e sensores, otimizam os processos e ampliam a fiscalização da equipe, ou seja, dificilmente um funcionário vai atuar sem o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), por exemplo.

O monitoramento inteligente possibilita o acompanhamento em tempo real de tudo o que está acontecendo na linha produtiva, mesmo que o gestor ou dono da empresa esteja em outro país. Assim, é possível verificar como a ação das pessoas, as cargas, a entrada e saída de veículos, o controle de acesso, enfim, a segurança torna-se uma realidade em todos os setores.

Fora isso, o sistema é fundamental para auxiliar no acompanhamento da frota em entregas. Caso o veículo saia da rota, um alerta será emitido para a central, agilizando soluções dos problemas, sejam por falhas humanas ou até mesmo em razão de uma tentativa de roubo.

Como instalar o monitoramento inteligente?

A instalação do sistema que reúne várias tecnologias em um mesmo monitoramento necessita de uma avaliação prévia da cidade ou da empresa. No caso dos municípios, geralmente são firmadas parcerias com o governo do estado ou federal, abrindo licitações para empresas de segurança eletrônica, em que serão avaliados vários requisitos, como preço e capacidade técnica.

Já para empresas, o processo é mais simples. É possível contratar uma instituição de credibilidade no setor de segurança eletrônica, com foco no projeto requisitado.

Dessa maneira, um estudo será elaborado de acordo com as necessidades do contratante. Tudo vai depender do tamanho do local, objetivos do monitoramento, entre outros aspectos. Assim, serão definidos os pontos estratégicos para a instalação de câmeras, sensores e alarmes.

Com a tecnologia CFTV IP, por exemplo, é possível diminuir o número de câmeras, tendo em vista que o sistema consegue substituir até quatro equipamentos analógicos por apenas um digital.

Quais equipamentos são necessários?

Como já vimos, o monitoramento inteligente não é um componente de um sistema. Ele mesmo é um sistema composto por partes que precisam estar conectadas para funcionar como se espera. A quantidade e os tipos de equipamentos vão variar de acordo com a demanda do seu cliente. Veja agora quais são alguns componentes básicos.

DVR

Digital Video Recorder (DVR) é o aparelho que receberá as informações das câmeras. A conexão entre eles é feita por meio de um cabo RJ45 (aquele mesmo da internet). Ele tem o limite de qualidade de gravação de 960 linhas. Essa é uma qualidade razoável e cai bem em residências e empresas, por exemplo. Dentre suas vantagens, podemos listar:

  • permite acesso, em dispositivos móveis, às imagens gravadas;
  • faz a análise de vídeo inteligente;
  • pode armazenar as imagens na nuvem ou em HDDs;
  • pode ser integrado com alarmes e sensores;
  • recebe programação para enviar e-mails quando são detectados movimentos anormais no recinto;
  • apresenta a possibilidade de gravações de áudio.

Além do DVR, existem o NVR e o HVR. A função é basicamente a mesma, porém as diferenças de cada projeto é que determinarão o uso de um ou outro.

Câmeras de segurança

Para quem quer monitorar alguma coisa, câmeras não podem faltar. Existem alguns modelos disponíveis. Veja quais são as principais e seus diferenciais:

  • câmera com infravermelho: vêm com LEDs com frequência infravermelho (invisíveis aos olhos humanos) que são ativados quando a baixa luminosidade afeta a nitidez da imagem;
  • câmeras IP: na verdade, é uma função e não um tipo de câmera. Elas transmitem seus dados por meio de rede de internet (Wi-Fi ou via cabo);
  • câmeras speed dome: excelente qualidade de imagem e movimentação 360° por mesa controladora para visualização completa de ambientes;
  • câmera dome: é recomendado seu uso em ambientes internos fixada em paredes ou no teto;
  • câmera bullet: é pequena e resistente a poeira e chuva; por isso, acaba sendo muito utilizada na frente de casas, prédios, postes etc. Algumas possuem proteção contra vandalismo;
  • câmera de segurança AHD: são câmeras analógicas de alta resolução. Normalmente são mais baratas que as câmeras com função IP.

Em meio a tantas categorias de câmera, podem surgir dúvidas sobre qual seria a melhor para usar em determinado caso. Alguns fatores precisam ser considerados para a decisão ser certeira:

  • iluminação do ambiente;
  • tamanho da área a ser monitorada;
  • resolução de imagem necessária;
  • imagens coloridas ou em preto e branco;
  • objetivo do monitoramento; se é antifurto, de processos de trabalho, funcionamento de equipamentos, fluxo viário etc.

Sensores

Os sensores vão trabalhar em parceria com as câmeras. Enquanto elas fazem a função de coletar as imagens, os sensores atuam para avisar quando há alguma violação de limites no perímetro de monitoramento.

Os sensores infravermelhos, por exemplo, servem para perceber a presença de indivíduos pelo calor do corpo. Os sensores de barreira normalmente são 2 ímãs que, quando são afastados, indicam a abertura de uma porta, janela ou outra coisa. Além disso, existem os sensores de quebra de vidro e de incêndio.

Portanto, o monitoramento inteligente é uma resposta da sociedade ao avanço da criminalidade e pode ser a solução para proteção do patrimônio com uma eficácia bem melhor em comparação aos sistemas tradicionais de segurança eletrônica. Agora você está bem mais informado para ajudar seus clientes.

Gostou do nosso artigo? Ficou com alguma dúvida? Então, deixe aqui seu comentário!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *