Subscribe Now

Trending News

Novo coronavírus: 7 dicas para profissionais autônomos
Vendas

Novo coronavírus: 7 dicas para profissionais autônomos

Como você bem sabe, o objetivo do nosso portal é oferecer conteúdo de qualidade para os nossos leitores, com informações úteis para o seu dia a dia. Mas, hoje, precisamos desviar da segurança eletrônica para discutir os impactos do novo coronavírus sobre a sua rotina.

Para isso, elaboramos este post completo sobre o tema! A começar por um panorama do Covid-19, explicando suas formas de contágio e outras curiosidades pertinentes. Em seguida, compilamos uma série de dicas e informações para proteger você, profissional autônomo, durante esse período. Então, não perca tempo e embarque nesta leitura!

O que é o novo coronavírus?

Especificamente conhecido como SARS-CoV-2, o novo coronavírus é uma nova variante dessa família viral. Até alcançar o status de pandemia em 11 de março deste ano, o Covid-19, que é a doença provocada por esse coronavírus, teve uma longa trajetória.

Inicialmente, em 31 de dezembro de 2019, a sede da OMS na China detectou alguns casos de pneumonia, que, até então, não tinham causa conhecida. Já em 12 de janeiro, a Comissão de Saúde da China conseguiu identificar o ponto zero da contaminação, em um mercado aberto na cidade de Wuhan.

Avançando no tempo, chegamos à redação deste artigo, em um momento em que o novo coronavírus já alcançou a maior parte dos países no globo, justificando seu status de pandemia. Conforme o último relatório situacional da OMS (Ed. 66 de 26 de março), o vírus já alcançou os seguintes números:

  • 462.684 casos confirmados em todo o mundo;
  • 75.712 confirmados no continente americano;
  • segundo a última atualização Ministério da Saúde brasileiro, em 26 de março às 21:26, o país já registrava 2.915 casos confirmados.

Uma coisa importante a ser entendida é o potencial do coronavírus. Pois veja, pelo que tudo indica, não se trata de um vírus de alta letalidade, pois o real desafio está na sua velocidade de transmissão. Por isso, todas as precauções voltadas ao isolamento social são determinantes para superar esse problema. Inclusive, é a isso que se chama de “achatar a curva” — que, provavelmente, você escutou nos últimos dias.

Estatisticamente, é sabido que na ausência de boas práticas de contenção, higiene, desinfecção e isolamento, o país acelera sua taxa de infecção a uma velocidade absolutamente incontrolável, alcançando um enorme pico de pessoas infectadas, saturando o sistema de saúde pública e, pela incapacidade de prover atendimento a quem precisa, a letalidade aumenta.

O achatamento da curva é justamente a diminuição desse pico, distribuindo o período de contágio populacional por um maior intervalo de tempo. Com as boas práticas de isolamento, higiene, cautela e distanciamento, a probabilidade de contágio é reduzida, assim dando fôlego ao sistema de saúde no atendimento das pessoas que precisam. O resultado disso é a diminuição da taxa de letalidade.

Como o novo coronavírus é transmitido?

Apesar de existirem estudos complementares que ainda investigam essa questão, até o presente momento temos uma ideia bem sólida do que provoca a transmissão desse vírus. Em essência, a transmissão pessoa > pessoa acontece a partir da contaminação por gotículas respiratórias.

Sendo assim, a infecção pode ocorrer até em uma simples conversa, em que as duas pessoas estejam a menos de 1 metro entre si, desde que uma delas esteja infectada. Basicamente, a transmissão do novo coronavírus tende a acontecer pelo ar ou pelo contato direto com secreções de pessoas infectadas.

Ou seja, compartilhar utensílios como copos, talheres, máscaras, canetas e qualquer coisa que possa imaginar já é um problema. Inclusive, com as recentes descobertas de que o vírus sobrevive por algum tempo em superfícies inertes, como plástico, couro, metal, madeira e afins, o simples toque em uma região contaminada pode ser o suficiente para um contágio posterior, ao levar as mãos aos olhos, nariz ou boca.

Por conta disso, existe uma ênfase tão grande na necessidade de lavar muito bem as mãos e os antebraços durante 20 segundos, além dos alimentos recém comprados. Outro ponto essencial é a aplicação diária de álcool em gel em todos os instrumentos cotidianos, como mouses, teclados, maçanetas, torneiras, mesas e afins.

Quais as ações do Governo Federal para os profissionais autônomos?

Uma questão que vem ganhando corpo nos últimos dias é o panorama econômico. Afinal de contas, o isolamento é uma medida absolutamente eficaz, mas que cobra seus preços por meio da paralisação quase integral da economia.

Por esse motivo, profissionais autônomos expressam seu descontentamento com a situação, pois a renda é proporcional à sua exposição no mercado. Na ausência de uma carteira assinada, seguro-desemprego ou qualquer benefício do tipo, existe uma impressão de desamparo.

Para amenizar o cenário, um projeto especial foi aprovado na Câmara dos Deputados no dia 26 de março, com o objetivo de disponibilizar uma renda complementar para os profissionais em situação de vulnerabilidade.

O auxílio mensal tem o valor de R$ 600 e deverá ser pago durante 3 meses, com a possibilidade de ser estendido conforme a situação dos próximos momentos. Os requisitos para o acesso ao auxílio são bastante objetivos, bastando:

  • ser maior de 18 anos;
  • não ter um emprego formal, CLT;
  • não ser titular de benefício previdenciário;
  • renda mensal familiar de até 3 salários mínimos;
  • não ter recebido mais de R$ 28.559,7 de rendimentos tributáveis em 2018;
  • pode ser profissional autônomo ou MEI.

Quais as 7 dicas e os cuidados mais importantes? 

Agora, é momento de conhecer as nossas dicas para a sua segurança e também a da sua família. Veja!

1. Fique em casa

Apesar das dificuldades provocadas pela estratégia, ela é a única que tem se provado absolutamente eficaz na desaceleração do contágio. Sem sombra de dúvidas, o novo coronavírus se apresenta como um dos maiores desafios colaborativos em todo o mundo e, por isso, todos precisamos fazer a nossa parte.

2. Organize suas contas

Se tem um momento para puxar o freio nas despesas, esse momento é agora! Aproveite o isolamento para fazer um planejamento financeiro sólido, antecipando os seus gastos nas próximas semanas e meses. Como você perceberá, controlar as finanças será determinante para evitar excessos durante esse período.

3. Realize consultorias à distância

Existe um velho dizer que comenta que a dificuldade gera criatividade. Com o distanciamento dos seus clientes, você precisa abordar soluções alternativas para continuar trabalhando. Por isso, sugerimos a consultoria em segurança, que pode ser realizada por videoconferência, bastando uma boa conexão de internet.

4. Desinfecte todos os seus equipamentos

Aproveite o isolamento para garantir que as suas ferramentas estejam livres do vírus. Para tanto, basta embeber um pano com álcool de alta gradação e esfregar bem nos equipamentos, limpando todas as superfícies de contato de chaves, alicates, dispositivos e afins.

5. Evite tocar nos olhos, boca ou nariz

Ainda que você tenha absoluta certeza de que está limpo, é melhor prevenir do que remediar, concorda? Portanto, policie-se para evitar qualquer contato com regiões vulneráveis, como as descritas acima.

6. Lave bem as suas mãos

Dica clássica e constantemente ecoada pelo mundo. O objetivo de uma lavação longa de 20 segundos, incluindo o antebraço, é garantir que as suas mãos estejam constantemente limpas, sem agir como um vetor de contaminação para si mesmo ou para as demais pessoas.

7. Evite contato físico com os seus clientes

Se por um motivo extraordinário você precisar sair à trabalho, evite as cordialidades e cumprimentos físicos com os seus clientes. O distanciamento é determinante para evitar o contágio e você deve estar ciente disso 100% do tempo.

Por fim, vale lembrar de que, se você é MEI, é muito importante ter cuidado ao balizar as suas finanças pessoais e empresariais. Afinal de contas, é fundamental garantir o funcionamento das duas esferas, sem prejudicar o orçamento de um lado em prol do outro.

Agora, aproveite para espalhar essas boas práticas entre os seus amigos da segurança eletrônica. Quanto maior o número de pessoas engajadas no combate ao novo coronavírus, mais rápido voltaremos à normalidade. Então, não perca tempo e compartilhe este post nas suas redes sociais! 

Vendas

Novo coronavírus: 7 dicas para profissionais autônomos

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *