Subscribe Now

Trending News

Saiba o que não deve faltar em um plano de contingência contra furtos
Segurança

Saiba o que não deve faltar em um plano de contingência contra furtos

Para garantir o sucesso do seu empreendimento, é uma ótima medida se precaver contra o maior número possível de incidentes desagradáveis. Um plano de contingência contra furtos vai combater esse tipo de incidente e ainda estabelecer diretrizes valiosas para os seus colaboradores.

Porém, muitos gestores ainda não sabem estabelecer um plano de segurança patrimonial. Pensando nisso, preparamos esse artigo para que você saiba exatamente como implantar essa estratégia em seu negócio. Continua a leitura e saiba como!

 O que é um plano de contingência contra furtos?

O termo “contingência” se relaciona à possibilidade de que algo aconteça ou não. Assim, quando falamos de um plano desse tipo, nos referimos à toda uma rede de apoio para combater situações hipotéticas que podem prejudicar a estrutura de segurança de uma empresa.

Com um plano de contingência pronto, a companhia se resguarda contra o dano causado por situações futuras de emergência. Dessa forma, será possível evitar tumultos e pânico no local, o que dificultaria o combate efetivo ao foco de problemas.

Em se tratando de furto, a ocorrência pode levar a situações bastante desagradáveis para todos os envolvidos, como acusações improcedentes e até mesmo a detenção de pessoas que nada tenham a ver com o incidente.

Um plano de contingência completo se inicia com um estudo aprofundado das vulnerabilidades gerais da companhia. Ele pode ser feito por empresas terceirizadas de segurança e consultores especializados, que vão apontar as melhores estratégias de acordo com o perfil do negócio. No caso de furtos, esses parceiros externos podem indicar os melhores equipamentos para o monitoramento do ambiente.

Como elaborar esse plano?

Elaborar um plano de contingência contra furtos pode ser dividido em duas grandes etapas: a criação de um escopo geral e a preparação das ferramentas que serão utilizadas para mitigar ameaças que envolvem o negócio, como a incidência de furtos. As estratégias para a elaboração desse plano de segurança dependem de um conjunto significativo de características da empresa, como:

  • localidade do negócio;
  • porte da companhia;
  • ramo de atuação;
  • vulnerabilidades enfrentadas.

Assim, é preciso ponderar esses fatores antes de proceder efetivamente à implantação do plano de contingência contra furtos. Vamos conhecer as suas etapas.

Gestão de riscos

O primeiro passo é investir em uma gestão de riscos eficiente. Esse conceito, ligado inicialmente à administração, define um conjunto de ações estratégicas utilizadas para identificar e prevenir riscos atrelados à segurança da sua propriedade. Esses procedimentos possibilitam que a sua companhia atue de forma preventiva, diminuindo as perdas materiais e o erro humano.

A própria análise de riscos vai ajudar os gestores a elencar os problemas de segurança mais sérios e que precisam de cuidados imediatos. A partir dessa definição, o plano de contingência contra furtos estabelecido vai lidar com as próximas ocorrências. O próximo trabalho é estudar os efeitos, aquilo que será efetivamente feito para combater as incidências de furto.

Além disso, pequenos ajustes podem otimizar todo o cotidiano dos colaboradores na empresa, como evitar de deixar pertences à vista e guardar com cuidado os objetos pessoais. Além de evitar furtos, mesas limpas deixam uma boa impressão.

Discussão de ideias

O próximo passo é fazer um brainstorming, reunindo a equipe para levantar ideias sobre tudo o que pode ser feito para combater os furtos e minimizar o impacto do que já ocorreu. É importante notar que, por mais eficiente e bem treinada que sejam os colaboradores e o uso que fazem dos equipamentos de segurança eletrônica, muitos indivíduos ainda conseguem burlar esses cuidados.

Assim, reunir os colaboradores e envolver a equipe é essencial para que as melhores ideias surjam. É preciso ter em mente que o plano de contingência é realizado para mitigar e eliminar todas as ameaças que podem prejudicar o seu negócio. Desse modo, ter a contribuição direta dos seus profissionais é essencial para que essa cultura de proteção seja absorvida com sucesso.

Podemos exemplificar: suponhamos que a sua empresa esteja sofrendo com muitos furtos, todos ocorridos em um corredor da loja. De alguma forma, os criminosos sabem que o sistema de vigilância não oferece uma cobertura completa daquele local específico.

Assim, o que fazer? Instalar mais câmeras? Substituir todos os equipamentos analógicos por opções IP, que oferecem um maior alcance e um nível superior de nitidez na imagem? Reorganizar todo aquele corredor e diversificar os produtos ali contidos? Como vemos, é possível trabalhar com diferentes pontos de vista.

Plano de ação

Por fim, é o momento de delinear as estratégias que transformará o seu plano de contingência em uma série de ações efetivas para resguardar a sua empresa contra furtos. Uma boa ferramenta para essa etapa é o instrumento de gestão conhecido como 5W2H.

Esse plano de ação trabalha com 7 perguntas. Como o próprio nome indica, as 5 primeiras se iniciam com a letra W e as 2 últimas, com H. Assim, temos:

  • who (quem?);
  • what (o que?);
  • when (quando?);
  • where (onde?);
  • why (por quê?).

Já os dois últimos caracteres se relacionam a questionamentos iniciados com a letra H: how (“como”) e how much (“quanto custa”). Mapeando todos esses questionamentos, a companhia pode traçar um plano de ações efetivo para coibir furtos. É importante notar que essa ferramenta também se preocupa com os custos da solução escolhida para combater deficiências.

Ações mais pragmáticas de segurança patrimonial envolvem a instalação de um bom número de câmeras de segurança (de preferência, opções em IP), alarmes e serviços de videoporteiro — este último, inclusive, vai inibir indivíduos mal-intencionados, já que será mais fácil ter um controle das pessoas que entram na propriedade.

Como esse serviço pode ser um diferencial?

É interessante notar que um plano de contingência pode ser composto não apenas para combater os furtos, mas também com o objetivo de coibir roubos, prover a ação imediata de socorristas, queda geral de energia no estabelecimento e até princípio de incêndio por exemplo.

É uma metodologia versátil que pode guiar toda e estratégia de segurança patrimonial da sua companhia. Assim, podemos dizer que o primeiro grande diferencial é que esse combate organizado às ações de furto é uma melhoria geral na cultura organizacional no tocante à proteção ao patrimônio.

Apesar de parecer uma ocorrência banal, os furtos podem prejudicar muito o orçamento da companhia. Afinal, a falta de alguns itens pode ser sentida somente no momento de realização do relatório de final do ano, por exemplo, comprometendo todo o planejamento do ano seguinte.

Assim, um plano de contingência contra furtos é de suma importância para que a sua empresa se resguarde financeiramente. Além disso, é uma forma eficiente de capacitar os seus colaboradores e reforçar a cultura organizacional, integrando todos os setores em prol do bem comum.

Quer conhecer outros conteúdos como este? Então nos siga nas redes sociais: estamos no Facebook e no YouTube!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *