Subscribe Now

Trending News

Como os moradores podem ajudar na segurança do condomínio?
Segurança

Como os moradores podem ajudar na segurança do condomínio?

Em uma reportagem sobre invasões e furtos condominiais, a Revista Exame apontou que muitos incidentes poderiam ser evitados se moradores, funcionários e administrações se unissem em prol da segurança do condomínio.

Diferentemente de uma casa que tem um número menor de ocupantes, um condomínio é quase como “um pequeno bairro”. Ainda que os gestores se esforcem e invistam em melhorias, todo planejamento pode ser comprometido caso os condôminos não sigam as regras ou não pratiquem ações preventivas.

Para ajudar a garantir o bem-estar geral, apresentaremos neste post dicas de como os moradores podem ajudar na segurança do condomínio. Quer saber como pode contribuir? Confira!

Manter os portões fechados

Essa pode parecer uma dica básica — e realmente é. Porém, negligenciando as coisas simples, acabamos cometendo erros graves. E a segurança coletiva também só acontece quando há participação de todos.

Por isso, ainda que o seu condomínio conte com funcionários na portaria, não fique segurando o portão enquanto conversa com vizinhos ou pessoas de fora do prédio. É preciso ter em mente que o acesso de pedestres e o estacionamento são as entradas principais dos edifícios.

Ao mantê-lo aberto além do necessário, mesmo que seja por alguns segundos, você pode comprometer todo o investimento de segurança que foi decidido em assembleia. Infelizmente, esse é um costume que muitas pessoas apresentam e, muitas vezes, acabam fazendo sem perceber.

Observar pessoas estranhas ao redor do condomínio

Essa é mais uma dica “simples”, mas que pode fazer muita diferença no dia a dia. Especialistas em segurança apontam que a “técnica de focalização” — prática de observar cuidadosamente tudo que está acontecendo ao seu redor — pode ajudar a impedir roubos, arrastões e até sequestros em condomínios.

No entanto, com rotinas puxadas e as comodidades da sociedade moderna, a maior parte dos moradores torna-se descuidada. A alta taxa de acidentes de trânsito que ocorrem próximos das casas dos condutores demonstra o quanto as pessoas se distraem quando estão chegando a suas residências.

Considerando que os assaltantes esperam uma distração das vítimas para agir, ao relaxar por completo antes de entrar de fato no condomínio, você está oferecendo a oportunidade perfeita.

Sendo assim, ao se aproximar da portaria, observe atentamente o que está acontecendo em volta. Caso note algo fora do comum ou muito suspeito, não fique parado esperando o portão do estacionamento abrir. Retorne para um local seguro e, caso necessário, entre em contato com os órgãos competentes de segurança.

Cadastrar os funcionários, moradores, visitantes e prestadores de serviço

Embora o cadastramento de pessoal seja uma ação incumbida à administração do condomínio, os moradores têm um papel importante para o sucesso da estratégia.

Primeiramente, os condôminos devem exigir em assembleia que a prática de cadastro seja implementada no local — caso isso ainda não tenha sido feito. Todavia, para que surja efeito, é essencial a participação de um número grande de moradores. Nas assembleias, geralmente, as decisões são tomadas em favor da maioria.

Além disso, todos podem fiscalizar se as regras estabelecidas estão sendo cumpridas. Não é necessário ficar perguntando sobre os crachás dos funcionários ou dos prestadores de serviços. Com um acompanhamento diário, é possível perceber se o que foi estabelecido está sendo seguido.

Por fim, os moradores são decisivos quando informam a seus amigos e parentes sobre a obrigatoriedade de cadastramento de pessoal, facilitando a execução da tarefa pelos responsáveis.

Investir em equipamentos de segurança

Há muito tempo a tecnologia é utilizada para melhorar a segurança de lojas, empresas e indústrias. Porém, há pouco mais de uma década, as ferramentas foram adaptadas para uso em residências e condomínios. E com a alta taxa de violência sendo um dos grandes males do século XXI, o investimento em equipamentos de segurança tornou-se algo primordial.

O mais interessante é que existe um arsenal de ferramentas direcionadas exclusivamente para garantir a segurança de condomínios. Câmeras de alta definição e que conseguem captar imagens em locais escuros são bons exemplos dessas inovações.

Além disso, empresas do ramo desenvolveram o porteiro eletrônico, uma ferramenta capaz de trazer toda comodidade de um interfone, adicionada a segurança de uma câmera de vídeo. Com isso, os moradores podem ver e ouvir as pessoas que estão do lado de fora.

Para completar o conjunto de equipamentos essenciais, podemos citar os sensores de luz. Ao captar a presença de seres humanos e animais, eles iluminam todo o local, espantando qualquer tipo de visita indesejada. Além disso, deixam em alerta moradores e funcionários.

Mais uma vez, a participação dos moradores é decisiva para a implementação dos itens de segurança. Como se trata de um investimento financeiro, a colaboração de todos garante a escolha da melhor marca de equipamentos de segurança, fazendo valer o fator custo-benefício.

Respeitar as regras do condomínio

A verdade é que não adianta exigir mudanças e investir em equipamentos tecnológicos se as regras do condomínio não forem seguidas. O grande erro de muitos moradores é esquecer ou ignorar o fato de que vivem em um local coletivo, e que suas atitudes impactam diretamente as outras pessoas.

O segredo é agir sempre com empatia: você ficaria feliz se outro morador tomasse essa atitude? Lembre-se de que, ao descumprir as regras, você não está pondo em risco apenas pessoas estranhas ou distantes — sua família ou seus amigos também podem sofrer as consequências.

As regras podem variar de acordo com a política do condomínio. Porém, no geral, elas se concentram em:

  • participar das assembleias;
  • seguir as decisões coletivas;
  • não expor a si próprio ou outros moradores a situações de risco;
  • respeitar o limite de velocidade dos veículos dentro do condomínio;
  • orientar parentes, amigos e funcionários pessoais quanto às regras gerais;
  • zelar pelos equipamentos do local;
  • contribuir com a segurança trazendo informações pertinentes;
  • compreender e cooperar com ações preventivas de segurança;
  • tratar com educação funcionários e prestadores de serviço.
  • colaborar com o síndico e a administração para garantir a harmonia do local.

Enfim, a segurança de todos só estará realmente garantida se todos fizerem a sua parte. Investir em tecnologia é necessário e favorece a reputação do condomínio. Todavia, até para a implementação e continuidade da estratégia é importante a participação e conscientização dos moradores. Então, analise as dicas apresentadas e faça com que o coletivo seja a um diferencial na luta contra a insegurança.

Gostou das dicas para garantir a segurança do condomínio? Que tal agora conferir o nosso guia completo sobre CFTV e entender como a tecnologia pode ser fundamental para a segurança do seu condomínio?

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *