Blog

Entenda como funciona um sensor de abertura e onde instalá-lo
Segurança

Entenda como funciona um sensor de abertura e onde instalá-lo

Com uma procura cada vez maior pelos projetos de segurança eletrônica, é fundamental que você, um profissional desse mercado, esteja ciente de todos os dispositivos e soluções que possam ser implementados nos projetos dos seus clientes. Sendo assim, elaboramos este post especial sobre o sensor de abertura.

Caso ainda não o conheça, saiba que não há problemas. Diferentemente dos sensores de presença, esses dispositivos ainda são relativamente novos no mercado nacional, estando em fase de popularização entre o consumidor brasileiro. Por isso, não perca a chance de se especializar nesse componente, aprendendo suas aplicações. Acompanhe!

A definição de um sensor de abertura

Essencialmente, os sensores de abertura foram desenvolvidos como uma solução alternativa ao já conhecido sensor infravermelho, comumente utilizados para o acionamento de lâmpadas e situações afins. Apesar disso, esses sensores nem sempre conseguiram identificar presenças da maneira apropriada, estando eternamente limitados ao ângulo e alcance de seu sinal infravermelho.

Para contornar essa situação e conferir maior segurança na proteção de ambientes residenciais, as fabricantes desenvolveram o sensor de abertura. Tecnicamente, essa solução costuma ser composta por duas peças, além de um cabeamento específico.

Com o tempo, o sensor de abertura recebeu esse nome como uma menção à sua instalação e funcionamento. Na boa parte das vezes, ambas as peças ficam posicionadas em seções distintas de um elemento, como as duas folhas de uma janela, ou ainda, a borda de uma porta e seu batente.

Com essa configuração, os sensores podem ser conectados às centrais de smart home security, disparando o aviso sonoro assim que uma presença for identificada. Além disso, vale notar que a utilização dos sensores de abertura costuma ser bastante diversificada, atendendo a vários ambientes e sendo facilmente integrados aos alarmes residenciais.

O funcionamento dos sensores de abertura

Agora, vamos à parte mais técnica desse tema. Pois, afinal de contas, como essas duas peças distintas captam uma presença? Bem, em um primeiro momento é importante notar que existem pelo menos quatro modelos de sensores, cada qual com uma leve diferenciação em seu funcionamento e estética.

No entanto, grosso modo, todos operam sob a mesma tecnologia, a detecção por campo magnético. Basicamente, as duas peças sentem a proximidade uma com a outra quando o alarme está ativo, o que significa que as janelas, portas e afins estão fechados — o que faz com que as duas partes do sensor estejam próximas.

A detecção acontece no momento da suposta invasão, em que a abertura da porta ou das janelas causa o afastamento dos sensores. Quando isso é identificado, o alarme é disparado, notificando as pessoas sobre uma potencial invasão do perímetro.

Os diferentes tipos de sensores de abertura

Como dissemos, existem quatro soluções bem consolidadas nesse mercado. Por isso, reunimos aqui uma breve descrição de cada uma, explicando como e por que elas existem. Confira!

Aparentes

Também conhecidos como os sensores de sobreposição, esses são os dispositivos implementados em janelas e portas metálicas. Eles recebem esse nome justamente por ficarem expostos, ainda que sejam instalados do lado interno da superfície.

Embutidos

Já aqui, avançamos um passo em matéria de sofisticação. Os sensores de embutir são praticamente invisíveis, tanto pelo tamanho como por sua instalação na superfície que será protegida. Normalmente, essa solução é composta por duas peças diferentes: um pequeno ímã e um sensor cilíndrico.

O sensor é literalmente embutido no material, tornando-se invisível. Por conta disso, essa é a solução mais indicada para portas e janelas de madeira, permitindo a fixação com maior facilidade e discrição. Quanto ao funcionamento, tudo igual: quando há a desmagnetização pela abertura, dispara-se o alarme.

Metálicos

Já aqui temos a solução mais robusta de toda a lista. Em essência, trata-se da mesma coisa que um sensor magnético aparente. No entanto, sua construção é reforçada em liga metálica, além de contar com um maior ângulo de abertura. No fim das contas, essas qualidades o fazem uma melhor escolha para ambientes externos, para a segurança de portões e outros.

Sem fio

Por último e não menos importante, existe o modelo que é uma variação mais sofisticada do sensor aparente. Com um corpo plástico, esse sensor cumpre a mesma função que os demais, mas se comunica com a central do alarme por meio de radiofrequência, ignorando a necessidade de fios.

A importância desses dispositivos

Segurança, antecipação e previsibilidade. Assim como uma solução de portaria remota, os sensores de abertura trabalham em sincronia com a central de segurança residencial, garantindo que os moradores sejam devidamente avisados sobre a situação, além de atormentar o invasor com a possibilidade de ser pego.

Para além disso, também vale notar que nos últimos anos esses aparelhos cresceram bastante na preferência popular, ganhando cada vez mais atenção do público civil e empresarial. Afinal de contas, a situação delicada da segurança pública tem sido uma motivação constante para os consumidores buscarem soluções de proteção patrimonial.

É por esse motivo que os sensores de abertura são dispositivos essenciais nos projetos de segurança para residências urbanas, sítios, casas de veraneio e afins. O mesmo vale para as dependências de uma empresa, protegendo salas específicas, armazéns, cofres etc.

Os sensores de abertura da Giga Security

Por fim, cabe apresentar as principais soluções da Giga Security para esse nicho de mercado. Atualmente, dispomos de dois modelos, que atendem justamente as soluções mais procuradas pelo consumidor nacional: os sensores sobrepostos e embutidos.

O primeiro modelo é o GS0266, um sensor de embutir. Já o segundo é o GS0265, um modelo de sobreposição. Agora, dê uma olhada em suas especificações:

  • construído em plástico ABS de alta resistência;
  • instalação sugerida para ambientes internos;
  • temperatura operacional entre -10° C e 50° C;
  • embalagem com 20 unidades;
  • gap máximo de 20 mm;
  • gap seguro de 15 mm;
  • proteção anti-UV.

Por fim, ainda vale lembrar dos outros dispositivos do mesmo segmento, como os sensores de barreira. Para que saiba, a Giga é uma referência na fabricação de equipamentos de segurança eletrônica, disponibilizando as principais soluções e tendências ao mercado.

Então, agora que você já conhece as principais características de um sensor de abertura, não perca a oportunidade de equipar os seus projetos com o que há de mais sofisticado na tecnologia nacional. Entre em contato com nossa equipe e veja como os nossos dispositivos podem alavancar a sua operação!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *